domingo, 28 de fevereiro de 2016

Descrição gráfica do inferno: uma contribuição do islão para o mundo


José Atento
O consciente coletivo da civilização ocidental contém uma imagem do inferno como um lugar onde torturas sem precedentes são aplicadas aos infelizes, condenados eternamente, sofrendo com fogo, sede,  peles arrancadas, demônios torturadores, etc. O interessante é que esta descrição macabra não vem das escrituras cristãs, mas sim das escrituras islâmicas. 
É possível que Maomé tenha se inspirado na Bíblia no tocante ao inferno. Só que Maomé usou toda a sua imaginação incluindo (ou deturpando, como você preferir) a narrativa bíblica. O imaginário de Maomé com a descrição gráfica do inferno encontrou seu caminho para o cristianismo através de Dante, em sua obra "A Divina Comédia",  bem como através dos séculos de ocupação islâmica da Península Ibérica. 
A descrição gráfica do inferno é, então, uma contribuição islâmica para o mundo.

 
O Inferno islâmico: demônios jogando ferro derretido goela abaixo, pessoas em lagos de fogo e mulheres sendo cozinhadas suspensas por um gancho atravessado pela língua (desenho de [1])


A Bíblia possui referências a um lugar onde ninguém quer passar a eternidade, chamado de inferno. Segundo a Bíblia, este lugar, concebido originalmente para Satanás e seus demônios (Mateus 25:41), também será um lugar de punição do pecado daqueles que rejeitam a Cristo (Mateus 13:41). Mas, embora existam descrições extensas do céu na Bíblia, não há descrições muito detalhadas do inferno. A maioria das descrições do inferno simplesmente descrevem o destino de seus habitantes. Algumas das passagens incluem "aqueles que têm a marca da besta e adoraram a sua imagem foram lançados no lago de fogo que queima de enxofre" (Apocalipse 19:20), "a punição eterna" (Mateus 25:46), "reino dos mortos" (Salmos 09:17; Atos 2:27 ), "punidos com a destruição eterna" (2 Tessalonicenses 1: 9), "em chamas do forno, onde haverá choro e ranger de dentes" (Mateus 13:50), e "vermes devoradores não morrem, e as chamas nunca se apagam" (Marcos 9:48).

Mas, certamente, não existe descrição gráfica de demônios torturadores, e nem dos tipos de tortura a serem aplicadas, algo que faz parte do nosso imaginário popular. De onde, então, vem este nosso imaginário popular? Ele vem da obra de Dante Alegieri, A Divina Comédia, que não se baseou na Bíblia, mas sim na descrição islâmica do inferno. Além disso, a grande população cristã na Península Ibérica viveu sob a ocupação militar islâmica por vários séculos. O catolicismo de Portugal e Espanha foi um dos que mais se influenciou pela descrição das torturas do inferno islâmico.

As descrições de torturas sádicas são encontradas no Alcorão e nos dizeres de Maomé (hadices). Porém, Maomé, e seu alter-ego, Alá, foram além, descrevendo o inferno em detalhes, as torturas a serem aplicadas, quem as aplica e quem as ordena!

No islão, o inferno é um lugar reservado para aqueles que rejeitaram Alá e o seu mensageiro, Maomé. Os idólatras e incrédulos irão residir no inferno para sempre. Durante a sua pregação em Meca, Maomé ameaçou as pessoas que não acreditaram nele como o Mensageiro de Alá, e se recusaram obedece-lo, com torturas sádicas que as aguardavam no inferno (ao se mudar para Medina, Maomé passou a matar ao invés de apenas ameaçar os outros com o inferno). "Certamente, Alá amaldiçoou os incrédulos e lhes preparou um fogo flamejante onde morarão eternamente." (Alcorão 33:64). "E quem desobedece a Alá e Seu Mensageiro, então certamente, para ele é o fogo do Inferno, onde nele habitará para sempre." (Alcorão 72:23)

Quem ordena as torturas? O próprio Alá. Segundo o Alcorão, anjos poderosos e severos, e que nunca desobedecem a Alá, fazendo exatamente como ordenado (Alcorão 66:6), são os "guardiões do Inferno" (Alcorão  40:49). O nome do principal guardião do inferno é Malik (Alcorão 43:74-78).

O inferno é descrito em detalhes.

A maioria dos habitantes do Inferno são mulheres: Maomé disse: “Olhei para o Paraíso e eu vi que a maioria dos seus habitantes eram pobres. E eu olhei para o inferno e eu vi que a maioria dos seus habitantes são mulheres” (Bukahri 3241; Muslim, 2737).

Segundo Maomé, a maioria dos habitantes do Inferno são mulheres


O Alcorão indica o tamanho do inferno (Alcorão 50:30, 89:23), bem como Maomé se refere ao tamanho do inferno: maior do que a distância percorrida por uma pedra do tamanho de um camelo em queda-livre (Sahih Al-Jami).

O inferno possue vários níveis, onde os condenados habitam de acordo com a sua punição (Alcorão 4:145, 6:132, 3:162-163). Quanto mais baixo o nível, maior o tormento.

O inferno possue sete portões (Alcorão 15:43-44, 39:71, 39:72, 90:19-20, 104:1-2).

O inferno será estraordináriamente quente, implacável, sem sombra, sem extinção, possibilitando um tormento infinito (Alcorão 56:41-44, 101:8-11, 77:30-33, 74:26-29, 78:30, 17:97, 2:86).

O combustível do inferno também é descrito: carne humana, pedras, e os deuses pagãos (Alcorão 66:6, 2:24, 21:98-99).

A roupa dos seus habitantes são "roupas de fogo" (Alcorão 22:19) e "alcatrão (cobre derretido)" (Alcorão 14:49-50).

Vai haver uma comida, uma "planta amarga e espinhosa" que "nem alimenta e não tem gosto" (Alcorão 88:6-7). Um outro verso se refere a árvore do zaqum, que, "como metal fundido, que ferve dentro de barrigas, como a ebulição da água escaldante" (Alcorão 44:43-46, 37:62-68, 56:51-56). Os habitantes do inferno irão beber como camelos sedentos mas sem nunca saciarem a sede. Ao invés disso, os seus órgãos internos serão rasgados (Alcorão 47:15). Em outras ocasiões, eles irão se engasgar com o zaqum (Alcorão 73:12-13). Outra comida a ser servida será o pus que sai da sua pele, a descarga que sai das partes íntimas dos adúlteros, e a pele e carne decaída daqueles sendo queimados. É o "suco" das pessoas do Inferno (Alcorão 69:35-37, 38: 57-58). Alguns pecadores serão alimentados com fogo do inferno como castigo (Alcorão 4:10, 2:174).

A bebida oferecida para os condenados ao inferno será "água escaldante que corta os seus intestinos em pedaços" (Alcorão 47:15, 55:44, 88:5), uma "bebida miserável" (Alcorão 18:29), bebida de matéria purulenta (Alcorão 14:16-17), e "um fluido escuro e líquido fervente, obscuro, frio intenso" (Alcorão 38:57). Um hadice the Muslim narra que "qualquer pessoa que bebe bebidas alcoólicas será forçada a beber a lama de khabal. Eles perguntaram: 'Ó Mensageiro de Alá, o que é a lama de khabal?' Ele disse: 'O suor das pessoas do inferno' ou 'o suco das pessoas do inferno.' "

Maomé visita o inferno


As torturas. O Alcorão está repleto de descrições de torturas terríveis: as pessoas queimam-se em lagos de fogo; água fervente ou metal derretido derramado goela abaixo; mulheres suspensa sobre o fogo com um gancho através de suas línguas, etc.

A descrição das torturas no Inferno são gráficas e detalhadas.

  • A intensidade do fogo do Inferno será tal que as pessoas estarão dispostas a desistir de suas posses mais queridas para escapar dele (Alcorão 3:91).
  • Alguns momentos no inferno e as pessoas vão esquecer todos os bons momentos que eles tiveram (Al-Bukhari).
  • O horror e intensidade do fogo é o suficiente para fazer um homem perder a cabeça (Alcorão 70: 11-16).
  • As punições do Inferno irão variar em grau. O tormento de alguns níveis do Inferno será maior do que os outros. As pessoas vão ser colocados em um nível de acordo com as suas obras (Alcorão 4: 145, do Alcorão 40:46).
  • O fogo aceso por Alá vai queimar a pele das pessoas do Inferno. A pele é o maior órgão do corpo e do local de sensibilidade onde a dor da queimadura é sentida. Alá substituirá a pele queimada com uma nova para ser queimada novamente, e isso vai continuar a se repetir (Alcorão 4:56)
  • Outra punição do Inferno é o derretimento. Quando a água super-aquecida for derramada sobre a cabeça, ela vai derreter os órgãos internos (Alcorão 22: 19-20).
  • Uma das maneiras que Alá irá humilhar os pecadores no inferno será reunindo-os no Dia do Juízo em seus rostos, cegos, surdos e mudos (Alcorão 17:97, 27:90 Alcorão, Alcorão 23: 104, Alcorão 33:66).
  • Outro castigo doloroso para os incrédulos será o de arrastá-los em seus rostos para o Inferno (Alcorão 54: 47-48), 
  • Eles serão arrastados em seus rostos enquanto eles estiverem amarrados em correntes e grilhões (Alcorão 40: 70-72)
  • Alá vai escurecer os rostos das pessoas do Inferno (Alcorão 3: 106, Alcorão 10:27).
  • O fogo irá cercar o incrédulo de todos os lados, assim como os pecados o rodeavam como um lençol amarrado em torno de seu corpo (Alcorão 07:41, 29:55 Alcorão, Alcorão 09:49).
  • O fogo do inferno vai alcançar até os corações. O fogo pode penetrar seus corpos super-dimensionados e alcançar as suas partes mais profundas (Alcorão 104: 4-7).
  • O fogo dividirá as entranhas, como mencionado pelo Profeta em hadices de Bukhari e Muslim.
  • Alá descreve as correntes, jugos, e grilhões do Inferno. Os incrédulos vão ser amarrados com correntes e arrastados com cangas em seus pescoços (Alcorão 76: 4, Alcorão 73: 12-13, Alcorão 34:33, 40:71 Alcorão, Alcorão 69: 30-32).
  • Quando o incrédulo ver o Inferno, ele estará cheio de remorso, mas isso não será de qualquer benefício (Alcorão 10:54).
  • O incrédulo vai orar por sua morte quando sentem o calor (Alcorão 25: 13-14).
  • Seus gritos vai ficar mais altos e eles vão chamar por Alá esperando que ele irá levá-los para fora do Inferno (Alcorão 35:37).
  • Eles vão perceber os seus pecados e o erro da descrença obstinada (Alcorão 67: 10-11).
  • Suas orações serão rejeitadas (Alcorão 23: 106-108).
  • Depois disso, eles vão chamar os guardiões do inferno, pedindo-lhes para interceder a Alá em seu nome para a redução do tormento (Alcorão 40: 49-50).
  • Eles ainda vão implorar pela sua própria destruição para aliviar-se da dor (Alcorão 43:77).
  • Eles serão dotos que a punição nunca será reduzido, é eterna (Alcorão 52:16).
  • Eles vão chorar por um longo tempo (Alcorão 9:82).
  • Eles vão chorar até não sobrar nenhuma lágrima, então que eles vão chorar sangue, que vai deixar seus traços como descrito pelo Profeta (hadice de Ibn Majah).

É importante ter em mente que durante a sua halucinógena visita ao paraíso islâmico, montado em um asno alado (Buraq), Maomé também viu o inferno. A descrição do que Maomé supostamente viu é narrada nos hadices, mas vem sendo transcrita ao longo da história. Por exemplo, o livro Muhammad, the Messenger of Islam, His Life and Prophecy [2], apresenta esta descrição (páginas 198-203) detalhadamente. No tocante a tortura sofrida pelos habitantes do inferno:
  • Mulheres e homens suspensos pela língua por ganchos incandecentes, unhas feitas de cobre o que acarreta eles cortarem as suas faces.
  • Mulheres suspensas pelos seios enquanto outras estavam suspenas pelos pés, de cabeça para baixo.
  • Homens rasgam a sua própria carne colocando-a na boca.
  • Pessoas com corpo de porco e cara de cão e que expelem fogo pelo rabo, sendo comidos por cobras e escorpiões.
  • etc...
(E lembre-se que além do inferno, os muçulmanos se pelam de medo do tormento do túmulo)

Para concluir, volto a ressaltar o fato de que a escrição do inferno foi passada para a Europa, através do contatos ocorrendo no leste (que inspiraram o livro A Divina Comédia) e no oeste (Península Ibérica ocupada pelos exércitos islâmicos).  

A descrição gráfica do inferno é mais uma contribuição do islão para a humanidade, ou seja, mais uma porcaria. 




[2] Hajjah Amina Adil, Muhammad, the Messenger of Islam, His Life and Prophecy, Islamic Supreme Council of America, 2002. 




segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Canadá: imã recebe refugiados rezando "Destruam os inimigos do islão, fortaleçam o mujahideen"


Vídeo mostra refugiados sírios em Alberta, Canadá, sendo recebidos com a seguinte oração: "Destruam os inimigos do Islã, fortaleçam o mujahideen."

"A Associação de Bem Estar Islâmico de Alberta, no Canadá, celebrou no dia 5 de fevereiro de 2016, o "Dia de Boas Vindas aos refugiados Sírios". Essa celebração se baseou em uma celebração na Mesquita de Edmonton e foi realizada pelo Imã Shaban Sherif Mady.

O Xeique Shaban Sherif Mady (شعبان شريف ماضي), é um escolar erudito formado na escola teológica de al-Azhar, no Egito, e serviu no Ministério da Educação do governo egípcio. Hoje, ele é o Imã (religioso) de uma congregação muçulmana em Edmonton, Alberta, Canadá e faz as orações de sexta-feira, no Centro Comunitário Glengarry Hall, em Edmonton.

Em seu discurso aos refugiados sírios, o Xeique Shaban Sherif Mady cumprimentou os refugiados sírios e destacou os méritos do povo da "Grande Síria" aos olhos de Alá para derrotar os cruzados e os tártaros e terminou com uma súplica a Alá:
"Ó Alá! Fortaleça os mujahideen [combatentes da jihad no caminho de Deus] em todos os lugares, faça-os terem os corações fortes, e permita que eles alcancem suas metas, dá-lhes a vitória sobre Seus inimigos.
"Ó Alá, destrua os opressores.
"Ó Alá, destrua Seus inimigos, os inimigos da religião (Islã).
"Ó Alá, quem desejar o bem para o Islã e os muçulmanos, dê tudo bom para eles.
"Ó Alá, quem deseja mal para nós e quem deseja o mal para o Islã, faça que sua conspiração o enforque.
"Torne-o preocupado consigo, e torne seu plano o motivo para a sua própria destruição."
Vale lembrar que o Xeique Shaban Sherif Mady dedicou seu sermão de sexta-feira de 18 de dezembro de 2015 ao primeiro-ministro do Canadá Justin Trudeau, a quem ele vê como o maior aliado dos muçulmanos. Hmmm ......."




Primeiro-Ministro canadense Pierre Trudeau


Obrigado, Canadá ... agora, submeta-se ... Aslim Taslam.







domingo, 21 de fevereiro de 2016

Adunis Asbar, o maior poeta árabe, diz que islão não pode ser modernizado


“ ‘Islam Can’t Be Modernised’ Says World’s ‘Greatest Arabic Poet,’ ” por Chris Tomlinson, Breitbart, 19 de fevereiro de 2016:

Tradução repassada por Renato ...

Adunis Asbar, conhecido pelo pseudônimo de Adonis, é um escritor nascido na Síria e é considerado o maior poeta que escreve em língua árabe que vive hoje. Ele foi criticado por falar contra o ISLÃ antes de receber o prêmio da paz Erich Maria Remarque.

Em uma entrevista com Die Welt ele começou a falar sobre o problema da crise europeia.

Ele mesmo foi criado como muçulmano e possui muita habilidade na língua que o Corão foi escrito. Adonis disse: “Você não consegue reformar uma religião. Se alguém faz isso, o significado original se perde. Então a ideia de um muçulmano moderno e uma religião islâmica moderna é impossível. Se não há separação entre religião e política, não haverá democracia, principalmente se não houver igualdade para as mulheres. Será sempre um regime teocrático.”

Fazendo críticas pesadas ao mundo islâmico, ele continuou: “os árabes não possuem mais força criativa. O Islã não contribui para a vida intelectual, não sugere discussão. Não é mais um pensamento. Não produz arte, nem ciência, nenhuma visão que possa mudar o mundo. Os árabes continuarão a existir, mas não vão tornar o mundo um lugar melhor.

Sobre o regime de Assad na Síria ele diz: “ Tenho sido por muito tempo um opositor ao regime de Assad, pois ele transformou o país em uma prisão. Mas seus oponentes, os tão chamados “revolucionários”, praticam homicídios em massa, cortam a cabeça das pessoas e vendem mulheres em jaulas”.

Ele se referia ao Estado Islâmico e ao grupo terrorista Al-Nusra.

Sobre o Islã, ele continua: “É um sistema totalitário. A religião dita tudo: como correr, como ir ao banheiro, quem se deve amar, etc...”

Quando foi perguntado se recebia ameaças de morte, ele respondeu: “claro que recebo, mas eu não ligo. Há certas causas em que se vale a pena arriscar a vida”

Adunis Asbar

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Interessante, o próprio Alcorão infere que Jesus é Deus


Eu procuro me ater ao islamismo como a ideologia política poderosa que é. A religião islâmica é apenas uma forma de enjaular os seus adeptos de modo a se tornarem propagadores da ideologia, prontos para mentir e para matar por ela. Mas como eles usam da religião para enganar e atrair novos adeptos, é preciso ficar ciente de como rebater os argumentos.

Um dos truques usado ardilosamente pelos muçulmanos, para criar confusão e enganar os cristãos e os não-cristãos, fazendo-os baixar a guarda, é dizer que em momento algum Jesus diz ser Deus. Na verdade, Jesus diz ser Deus várias vezes nos Evangelhos. O mais interessante é que o próprio Alcorão indica que Jesus é Deus ao definir sinônimos para Alá que Jesus havia usado para sí mesmo.
Por isso, da próxima vez que algum muçulmano ou apologista disser que Jesus nunca disse ser Deus, você vai pode dizer que ele não só disse isso no Evangelho, como o próprio Alcorão também afirma isso! E você pode explicar isso, independente de você ser cristão ou não.

Prepare para o embate! Lembre-se que não é o caso de se defender uma religião (neste caso, o cristianismo) mas sim o de defender a liberdade frente à submissão ... ou seja, defender a sua civilização. 
Muçulmanos frequentemente perguntam os cristãos para mostrar onde nos Evangelhos Jesus diz ser Deus? Na verdade, Jesus diz ser Deus várias vezes. Mas o interessante, é que o próprio Alcorão diz isso, através dos nomes de Alá.

Os nomes de Alá. Alá tem 99 nomes, e todos são iguais em importância. Alá é apenas um deles. Muçulmano algum pode negar estes 99 nomes, pois se ele assim o fizer, ele está negando o próprio Alá. De um ponto-de-vista islâmico, ninguém pode se apoderar de algum destes nomes, referindo-se a sí próprio ou a outra pessoa. São nomes apenas de Alá. Então, se Jesus adotar algum destes nomes, ele está dizendo diretamente para os muçulmanos "Eu sou seu Deus."

Um dos nomes do Deus do islão é Al Haq, que significa A Verdade. Jesus disse "Eu sou o Caminho, A Verdade, e a Vida" (João, 14:6). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Haq, A Verdade? Jesus diz ser Al Haq.

Um dos nomes do Deus do islão é Al Baeth, A Ressureição. "E Jesus disse para ela: Eu Sou a Ressureição e a Vida. Aquele que crê em mim, embora ele possa morrer, viverá eternamente" (João 11:25). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Baeth, A Ressureição? E Jesus diz ser Al Baeth.

Um dos nomes do Deus do islão é Al Awal e Al Akher, O Primeiro e O Último. Na Bíblia, Deus diz ser o Primeiro e o Último (Isaías, 41:4). E, Jesus disse no Livro do Apocalipse "Eu sou o Alfa e o Ômega, o Primeiro e o Último, o Princípio e o Fim" (Apocalipse 22:13-16). Jesus usa os dois nomes de uma única vez. Jesus é o Awal e o Akher, o Primeiro e o Último. Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Awal e Akher, o Primeiro e o Último? E Jesus diz ser Awal e Akher.

Um dos nomes do Deus do islão é Rei dos reis, Al Malek. "Eles irão fazer guerra contra o Cordeiro, mas o Cordeiro irá os sobrepujar porque ele é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis" (Apocalipse 17:14). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Malek, Rei dos reis? E Jesus diz ser Al Malek.

Um dos nomes do Deus do islão é o Guia, al Hadi. "Jesus disse: eu sou a porta, se alguém entra através de mim, ele será salvo e encontrará pastagens" (João 10:9). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Hadi, o Guia? E Jesus diz ser Al Hadi.

Um dos nomes do Deus do islão é al Nur, a Luz. Jesus disse "Eu sou a Luz do mundo" (João 8:12). Em outra parte, Jesus disse "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida (João 8:12). Algum muçulmano pode negar que um dos nomes de Deus é Al Nur, a Luz? E Jesus diz ser Al Nur.

Depois do exposto, algum muçulmano pode negar que Jesus afirma ser Deus?

É claro que sim, por exemplo, um muçulmano pode dizer que o Alcorão é mais antigo que a Bíblia e que os cristãos copiaram isso tudo ... mas é claro que isso não faz sentido, pois o Alcorão foi montado no século VIII, muito depois do Novo Testamento ter sido escrito.

Algum muçulmano irá certamente dizer que a Bíblia foi corrompida, mas sem oferecer nenhuma evidência histórica disso.

Você pode achar este outro artigo interessante: Muçulmanos e cristãos não adoram o mesmo Deus.

saved


quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

O Tormento do Túmulo (al-barzakh)



O islão possui uma crença interessante que é conhecida como o tormento do túmulo ou a punição do túmulo, referida como al-barzakh. Isso é considerado como uma etapa entre a morte e a ressurreição. O sofrimento associado ao tormento do túmulo varia de acordo com os pecados cometidos pela pessoa neste mundo, se ele era um káfir (não muçulmano) ou um muçulmano desobediente. Apesar de ser dito que este tormento é "um pedaço do fogo para o káfir e para o hipócrita (falsos muçulmanos), mas um jardim para o crente", os muçulmanos devotos têm um medo muito grande desta punição.

O tormento do Túmulo é uma crença que leva os muçulmanos à loucura. Não existe certeza de salvação com Alá, exceto se o homem morrer durante uma jihad (matando os outros) ou se a mulher tiver feito o seu marido feliz (se submeter ao marido).

O tormento do túmulo acontece independente da pessoa ter sido enterrada ou não, seja comido por algum animal, queimado, etc. Após ser enterrado, dois anjos aparecem para saber se o defunto é muçulmano de verdade. A partir daí, começa a tortura.

Alguns atos de desobediência que causam o tormento do túmulo para os muçulmanos são:
  1. falta de higiene ao urinar
  2. difamação para provocar a intriga (fofoca)
  3. a mentira (exceto a taqiyya)
  4. dormir sem realizar as orações obrigatórias
  5. não ter memorizado o Alcorão
  6. fornicação e adultério
  7. homossexualidade
  8. cobrar juros 
  9. não pagar suas dividas
  10. quebrar o jejum no Ramadã sem justificativa
O tormento do túmulo é embasado nas Tradições de Maomé (Sunna). Maomé teria dito que, após o falecido ser colocado no túmulo, ele pode ouvir os passos de sua família (como eles andam para longe da sepultura). Exitem também depoimentos atribuídos a Aisha (a esposa-criança de Maomé) que teria ouvido Maomé dizer: "Que Deus proteja-o do tormento da sepultura!" E Aisha teria dito: "Nunca vi o Mensageiro de Alá (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) orar qualquer oração após aquilo, mas ele buscou refúgio em Alá contra o tormento do túmulo."

O Alcorão 40:46  se refere ao sofrimento do Faraó teria após morrer. O Exegeta ibn Kathir, bem como ibn Masood, diz que isso justifica a existência do tormento do túmulo. [1] [2] [3]

As punições previstas são as mais diversas e sórdidas, por exemplo [4]:
  1. ser atingido com um martelo de ferro
  2. algumas punições do inferno são preparadas para ele (ser vestido com fogo, o túmulo se torna estreito)
  3. ser engolido pela terra
  4. ter a borda da boca sendo rasgada na parte de trás da cabeça
  5. ter cabeça  esmagada com uma pedra, ser queimado em um forno
  6. nadar em um rio de sangue enquanto estiver a ser apedrejado
  7. ter seus itens que foram roubados durante pilhagem de guerra incendiados (como diz o ditado, ladrão que rouba ladrão ...)
  8. punição espiritual ou punição mental (ele é dado a notícia de punição na vida futura)


Relação da urina humana com o "tormento do túmulo" 

Bem, em primeiro lugar, o tormento do túmulo é uma superstição islâmica de que, ao morrer, o muçulmano vai ficar preso no seu túmulo sofrendo por algum motivo. Um deles é se molhar ao urinar. A Tradição de Maomé narra que, ao passar perto de um túmulo, Maomé disse que o defunto estava sofrendo do tormento por não ter se lavado da sua urina. [5]

Segundo  referência, o próprio Maomé teria dito: "O tormento do túmulo mais forte é devido a não se evitar a urina", ou seja "por não se manter longe de urina e deixá-la tocar o próprio corpo ou as roupas.  Uma das razões para esse tormento pode ser não limpar a si mesmo a partir da urina acarreta em uma impureza ritual e, no estado de impureza, a oração da pessoa não é válida, o que provoca a anulação das orações, o que também é outro grande pecado. Alá sabe melhor." [5].

Búúúúú


[1] Proof of the Torment of the Grave, Quran Tafsir Ibn Kathir

[2] Does the torment of the grave continue until the Day of Resurrection?, Islam Question and Answer, Fatwa número 21212.

[3] Is the punishment in the grave continuous?, Islam Question and Answer, Fatwa número 7862

[4] What are the types of azab in the grave and for the people, Islam Question and Answer, Fatwa número 8829

[5] Punishment in the grave because of urine uncleaness, Islamweb, Fatwa No. 83149, August 8, 2001

Hadices: Bukhaari, al-Janaa’iz, 1283; Muslim, al-Kusoof, 903). Muslim, 40.6863 Abu Dawud (2.20.3225) Abu Dawud (3.40.4734) Bukhari (2.23.450, 451)

Informação de um "ponto-de-vista infiél":

Grave Voodoo, Chapter 7, Islam Watch


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

A urina de Maomé e a urina de camelos são medicinais



Pois é. A urina de Maomé é medicinal. A urina de camelo é medicinal. Isso faz parte da Tradição de Maomé. A lógica é que se Maomé receitou beber urina, ele estava certo, e não tem discussão.

Este artigo também trata apresenta um tema "profundamente científicos": Maomé urinava agachado.


A urina de Maomé tem poder (e a terra esconde suas fezes)

Várias narrativas sahih (autênticas) relatam o poder que a urina de Maomé possui [1].
  1. Maomé possuia um jarro de madeira no qual ele urinava antes de dormir. Uma noite, Barrah, uma escrava, bebeu do jarro. Maomé replicou dizendo que ela havia se protegido do fogo com uma grande muralha. 
  2. Em uma outra noite, uma mulher, Umm Ayman, sentiu sede e bebeu o que tinha pela frente. Era o jarro de Maomé contendo a sua urina. A reação de Maomé ao saber do ocorrido foi dizer que a mulher nunca iria ter dor de estômago. 
  3. Em outra oportunidade, Maomé urinou dentro de um poço de água. Uma mulher, Anas, testemunhou que não existia em Medina água mais doce do que aquela. 
  4. E, para finalizar, Maomé defecou entre duas palmeiras. Um ajudante, Jabir, notou que o chão estava limpo, no que Maomé respondeu dizendo que o solo esconde o excesso criado por profetas. 

Urina de Camelo

Vários hadice autênticos (sahih) de Bukhari (Bukhari 1.4.234, Bukhari 7:71:590, Bukhari 8:82:794, Bukhari 8:82:796) e também de Muslim (Muslim 16:4130), descrevem Maomé receitando urina e leite de camelo como remédio: 
  1. Algumas pessoas não se aclimataram a Medina. Então, o Profeta ordenou-lhes para irem até o rebanho de camelos para beberem o seu leite e urina (como um medicamento). Depois que eles se tornaram saudáveis, eles mataram o pastor (que tomava conta do rebanho do Profeta) e mandaram os todos os camelos embora. Maomé mantou prendê-los e ordenou cortar suas mãos e os pés, eles foram cegados com peças aquecidas de ferro, e foram jogados no deserto até morrerem de sede.
Uma outra narrativa, desta vez da Sirat (biografia) escrita por Ishaq [2]:
  1. Maomé havia capturado um escravo chamado Yasar, colocando-o para tomar conta dos seus camelos. Alguns homens de Qays ode Kubba de Bajila sofriam de uma epidemia e fígados dilatados. Maomé mandou-lhes beber urina e leite de camelo, e assim eles foram. 
Vários muçulmanos estudiosos têm escrito enaltecendo a qualidade terapêudica da urina dos camelos, dizendo existirem estudos científicos, mas sem citá-los. Por exemplo, isso acontece na Fatwa 83423 (que cita vários doutores do islão) [3] bem como a Fatwa 85944 [4]. 

A (falta de) lógica por detrás de muçulmanos beberem urina de camelo é que isso faz parte da Tradição de Maomé. Muhammad ibn Al-Hassan, um estudioso da Escola de Jurisprudência Hanafi, concordou com Imam Malik (autor de outra Escola de Jurisprudência) considerando a urina dos animais comestíveis puros. "Se a urina de camelos fosse impura, o Profeta (que a paz esteja com ele) não teria prescrito para eles como um tratamento, porque Alá não tornaria coisas ilícitas como sendo tratamento para os muçulmanos." [5] 


Maomé urinava agachado

E, para terminar, algo interessante: Maomé urinava agachado. Quem disse isso foi a sua esposa predileta, a criança Aisha [5]:
  1. Aisha (que Alá esteja satisfeito com ela) disse: "Quem diz que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Alá estejam sobre ele) costumava urinar em pé, não acredite nele. Ele sempre urinava sentado."

Mas e eles bebem mesmo?

Sim, e existe até comércio de urina engarrafada. E também, fraude nas vendas.
  1. Asiático preso na Arábia Saudita por vender urina de camelo falsa (Emirates)
  2. Sauditas fecham loja ao descobrir que ela vendia urina humana (Mail)
É claro que os muçulmanos irão fazer de tudo para justificar urina de camelo pois foi Maomé que mandou, e eles NUNCA irão contrariar o que Maomé fez ou disse: o Alcorão diz que Maomé é o perfeito modelo de conduta (veja em 3:32; 3:132; 4:13; 4:59; 4:69; 4:80; 5:92; 8:1; 8:20; 8:46; 9:71; 24:47; 24:51; 24:52; 24:54; 24:56; 33:33; 47:33; 49:14; 58:13; 64:12).

Existe gente que até afirma que os camelos possuem uma imunidade natural. A questão é que os anticorpos são células especializadas que atacam e destroem microorganismos invasores e outros objetos estranhos. Mas, a urina do camelo não contém anticorpos, a menos que o animal esteja lutando contra uma infecção. Nesse caso, a urina camelo não só poderia adoecer uma pessoa, mas permitir que um agente patogénico possa atravessar a barreira entre espécies e causar uma grande epidemia. O consumo de urina de camelo por muçulmanos talvez seja a origem da MERS, a síndrome respiratória do Oriente Médio, também conhecida como a "gripe do camelo."

Veja o que dizem os especialistas:
  1. Organização Mundial da Saúde adverte que beber urina de camelo pode resultar em MERS (Express).
  2. O National Post explica porque a MERS é tão difícil de combater: o costume de se beber urina de camelo.
A tradição diz que Maomé prescreveu urina de camelo como remédio para seus seguidores. Devido ao fato dos muçulmanos acreditarem que Maomé é um profeta que recebeu uma revelação divina, eles continuam a prescrever urina de camelo como a remédio, apesar da falta de evidências provando que exista qualquer valor medicinal na urina de camelo, e mesmo com as indicações que beber camelo urina é algo realmente prejudicial.


A leva de urina engarrada que foi apreendida

Direto da fonte

A bebida predileta do "Café Maomé"



[1] The Prophet's Urine, Shaykh Munawwar Ateeq Rizvi, Scholars' Pen, May 10, 2005

[2] Sirat Rasul Allah (A vida do profeta de Alá), Ibn Ishaq, pages 677, 678

[3] The benefits of drinking camel urine, Islam Q&A, Fatwa No. 83423

[4] Prophet instructing sick person to drink camel urine for cure, Islamweb, Fatwa No. 85944, June 18, 2003

[5] Is it haraam to urinate standing up?, Islam Q&A, Fatwa No. 9790


terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Sociedades islâmicas têm maior índice de estupros do mundo



José Atento

As sociedades islâmicas possuem uma obsessão pela honra da mulher, a tal ponto de impor restrições com relação às suas vestimentas e com relação a liberdade de movimento. Estas restrições vem do Alcorão e das Tradições de Maomé (Sunna), tendo sido consolidadas na lei islâmica Sharia. Por terem vindo de Alá, estas restrições não podem ser alteradas: seria anti-islâmico fazer isso.
PS. Não se pode alterar a lei islâmica. Isso seria uma heresia, em árabe bidah. Bidah pode ser traduzido como inovação, mas em árabe esta palavra possui uma conotação negativa. 
Voltando ao assunto estupro, seria de se esperar que as mulheres tendo que se vestir em tendas (ou sacos) seria algo que as tornaria, para os homens muçulmanos, símbolos de pureza e piedade. Mas nem estes sacrifícios ajudam as mulheres muçulmanas.

E quanto aos homens muçulmanos, seria de se esperar que rezar 5 vezes ao dia e se submeter a um regime de controle rigoroso das suas tarefas religiosas os transformariam em homens normais que sabem os seus limites.

Nada disso. O que se verfica é um comportamento violento, opressivo, forte, e ás vezes mesmo demente. É interessante notar que os maiores índices de estupros advém exatamente dos países islâmicos. E que nos países ocidentais percebe-se um acréscimo no número de estrupros com o aumento do número de muçulmanos, e que as estatísticas relativas a estupro são dominadas por muçulmanos.

O número de estupros triplicou na Suécia nos últimos 10 anos ... 
... junto com a imigração islâmica


Amigos, o véu islâmico não protege as mulheres. Nem mesmo as muçulmanas.

Essas afirmações estão baseadas nos fatos que permeiam estudos estatísticos sobre crimes contra as mulheres em todo o mundo, oriundo de organizações sem fins lucrativos que lidam com estas questões em uma base diária. Outros estudos têm mostrado que as nações de maioria muçulmana estão entre aqueles com as taxa mais elevada de consumo de drogas, de homossexualidade, de homicídios, e de sodomia.

Os mapas abaixo apresentam de modo resumido os dados relativos a estupro à nível mundial. Estes mapas foram compilados a partir do banco de dados do Woman Stats Project. Este grupo é composto por doze assistentes universitários de pesquisa, sete assistentes de pesquisa de pós-graduação, treze investigadores principais, e mais de 120 assistentes ex-alunos. Eles se dedicam a pesquisa e avaliação da relação entre a situação e a segurança das mulheres, e a dinâmica entre a segurança, a estabilidade e o comportamento do Estado. Eles dizem possuirem a compilação mais abrangente de informações sobre a situação das mulheres do mundo, sendo que os resultados de pesquisa foram aprovados nas Nações Unidas, Departamento de Defesa dos Estados Unidos, e Congresso dos EUA.

O primeiro mapa mostra o nível de estupro dentro de uma escala global ponderada. A escala varia de 1 a 10, sendo 1 (verde) indicando o melhor nível (menos estupros) e 10 (vermelho escuro) indicando o pior nível (mais estupros). É curioso notar que todos os países islâmicos, com exeção da Turquia, possuem os piores níveis. É claro que existem outros países com um nível ruim que não tem maioria muçulmana, mas todos eles estão na África e têm populações muçulmanas, com exceção do México, país este fortemente afetado pelo narco-tráfico. Até mesmo a "moderada Indonésia" é ruim (nível 9).

Mapa 1: nível de estupro dentro de uma escala global ponderada


O segundo mapa mostra índices relativos a legislação de cada país com respeito ao estupro. A cor verde representa países cujas leis consideram estupro oriundo de encontros ou namoros, ou outras formas de sexo sem consentimento com indivíduos conhecidos ou não (incluindo estupro dentro do casamento), uso de drogas, etc, como ainda constituindo estupro. A cor vermelha indica os países cujas leis não especificam os estupros cometidos em encontros ou namoros, estupros dentro do casamento, ou outras formas de sexo sem consentimento, como estupro. A maioria dos países muçulmanos está na cor vermelha.

Mapa 2: índices relativos a legislação de cada país com respeito ao estupro

O terceiro mapa mostra uma escala combinada da prevalência e sanção do estupro e assédio sexual das mulheres. A escala de cores indica o verde escuro como "estupro raro", verde claro como "estupro incomum", amarelo como "estupro não é incomum",  marrom como "estupro é prevalente" e o vermelho escuro como "estupro é endêmico." Verifica-se que os países muçulmanos estão todos enquadrados na categoria "estupro endêmico." Até mesmo a Turquia agora se enquadra no "estupro prevalente."

Mapa 3: escala combinada da prevalência e sanção do estupro e assédio sexual das mulheres

E, finalmente, o quarto mapa que mostra o tráfico de mulheres. Esta informação é importante pois se relaciona diretamente ao estupro, que, naturalmente, inclui mulheres que são forçadas a prostituição ou a escravidão sexual. Que países não possuem legislação que proíba o tráfico de mulheres? Advinha? A escala de cor emprega o verde e o amarelo para indicar os países cujas legislações criminalizam o tráfico de mulheres. A cor marrom representa países que não criminalizam totalmente o tráfico de mulheres. A cor vermelha indica os países que não criminalizam o tráfico de mulheres. Os países que não criminalizam o tráfico de mulheres são exatamente os países islâmicos onde a escravidão sexual continua sendo praticada: Arábia Saudita, Iraque, Irã, Mauritânia, Sudão e Somália.

Mapa 4: tráfico de mulheres

Veja bem, não existem problemas apenas nos países muçulmanos, mas os países muçulmanos têm os piores índices de modo consistente! Se o islão fosse tão protetor das mulheres, não seria de se esperar que eles fossem os países com os melhores índices e os países infiéis tivessem os piores índices? Ou isso é porque os países infiéis utilizam de leis feitas pelo Homem ao passo que os países islâmicos tem suas legislações baseadas na "lei de Alá"? Será que o que os infiéis definem como abuso das mulheres é exatamento o que Alá define como direitos das mulheres? Para responder a esta última pergunta, leia o artigo Direito das Mulheres sob o islão



segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Neymar banido da Arábia Saudita (por ser cristão)



O jogador Neymar foi contratado pelo McDonald's como garoto-propaganda de uma campanha mundial. Só que os clérigos sauditas não gostaram de vê-lo estampado por ele ter-se declarado cristão. Os sauditas disseram que o Neymar estava violando a "santidade religiosa" da comunidade muçulmana. Eles pedem que todos os demais países muçulmanos façam o mesmo. O McDonald imediatamente removeu os anúncios com a imagem do jogador do Barcelona do país e cogita fazer o mesmo em todos os países árabes. O líder mulçumano Othman Mali,  advertiu aos organismos relevantes a nunca mais repetirem essa situação no futuro, e que respeitem os sentimentos dos mulçumanos.

Muçulmanos exigem tudo sem nada dar em troca. Sempre. No mundo islâmico eles impõem as suas regras. No resto do mundo, os puxa-sacos, os capitalistas, a "Esquerda Revolucionária" e a igreja apóstata fazem questão de aceitar as regras islâmicas visando ganhos econômicos ou apenas para parecerem como sendo "bomzinhos" e "tolerantes." Na verdade, nós precisamos dizer NÃO ao islamismo, e dizer NÃO a lei islâmica.

E enquanto isso, a Arábia Saudita continua exportando a ideologia salafista wahabista, que é o islão autêntico como praticado por Maomé (leia aqui sobre a vida de Maomé). Inclusive no Brasil, onde mesquitas sauditas têm sido abertas a um nível sem precedentes, brasileiros têm sido treinados na Arábia Saudita, e até mesmo clérigos radicais banidos em outros países transitam livremente.

Aproveitando um país sem lei, eles promovem a poligamia e a o modo islâmico de "educar" a mulher: batendo nela.

Neymar, garoto-propaganda do McDonald's, banido da Arábia Saudita por ser cristão



Referências:

Neymar ads withdrawn from Mecca, A Marca

Neymar posters advertising McDonald’s removed from city of Mecca for violating ‘religious sanctity’, The Sun.



domingo, 14 de fevereiro de 2016

O que é "Crime de Honra" e como ele difere de violência doméstica


José Atento

"Crime de honra", ou "violência pela honra", é um termo que tem sido empregado cada vez mais, notadamento com a imigração muçulmana. Mas, o que é crime de honra, e como ele se distingue de violência doméstica? E como a legislação de diversos países os tratam?

Segundo a AHA Foundation, crime de honra é uma forma de violência contra a mulher cometida sob o pretexto de proteger ou reconquistar a honra do perpetrador, da família ou da comunidade. As vítimas de crimes de honra são alvo de violência devido a seu comportamento ser visto como vergonhoso ou violador de normas culturais por parte da família ou comunidade. A violência pode tomar diversas formas, tais como abuso verbal ou emocional, ameaças, perseguição, assédio, prisão doméstica, violência física, abuso sexual, e homicídio.

Crime de honra é diferente de violência doméstica.
Crime de honra - vários membros da família ou da comunidade podem estar envolvidos em uma campanha de opressão e/ou violência contra a vítima. Por exemplo, um pai que pode se tornar violento, uma mãe que se utiliza de manipulação emocional tais como deixar de falar com a filha ou ameaçar se suicidar ou se divorciar devido ao comportamento da filha, ou irmãos que monitoram o comportamento da irmã a ponto de relatá-los aos pais.
Os perpetradores de crimes de honra não acreditam estarem cometendo um crime. Eles acreditam que a sua conduta é legítima, ou mesmo necessária, por causa do comportamento da vítima. Esta atitudo dos perpetradores é embasada em crenças culturais ou religiosas.  
O perpetrador acredita que o que ele faz é compartilhado pela família e pela comunidade, tanto pelos homens quanto pelas mulheres. Ele também pode ter o apoio do líder religioso da sua comunidade. Ele pode até mesmo ter o apoio da família da vítima, que pode não gostar do seu comportamento. E, ele pode ser celebrado pela sua ação. 
Violência doméstica - geralmente envolve violência cometida por um único perpetrador sem o apoio da família ou da comunidade. 
Os perpetradores de violência doméstrica geralmente estão cientes que eles cometem um crime. Dentro do ciclo da violência, o perpetrador geralmente se sente culpado ou teme ser descoberto como uma abusador.
O perpetrador de violência doméstica não tem a simpatia ou o apoio nem da sua família e nem da família da vítima. O seu comportamento abusivo não é geralmente perdoado pela família nem pela comunidade. O abusador irá fazer de tudo para esconder o seu comportamento violento. 
Pesquisa do Centro Pew de 2011 indica que 40% dos paquistaneses acham justificável terminar a vida de uma mulher ou de um homem que façam sexo pré-marital. Considerando a população do Paquistão sendo de 182 milhões, isso resulta em 73 milhões (40%).

O Fundo de Populações da ONU estima que 5 mil mulheres e crianças são mortas em crimes de honra por membros das suas próprias famílias a cada ano. A rede HBVA estima que,  anualmente, mil mulheres são mortas no Paquistão, e outras mil na Índia. Na Grã-Bretanha, o número é de 12 a cada ano. Na Síria, 200 mulheres são mortas em crimes de honra anualmente. No Iraque, a média anual é de 750 mulheres. Na Turquia, os casos aumentaram de 66, em 2003, para 957, em 2009. Estes números são estimativas, já que, devido à falta de recursos alocados a este problema, muitos casos ficam sem serem reportados.

Mapa mostrando a distribuição de crimes de honra. Marrom claro indica crimes 
cometidos por nativos do país; Abóbora indica crimes cometidos por imigrantes

O mapa mostra que o problema não acontece apenas no mundo islâmico. Porém, ele é prevalente no mundo islâmico e está sendo levado para países da Europa Ocidental, Canadá e EUA com a imigração muçulmana.

A questão pode ser resumida da seguinte forma:
Não foi o islão quem inventou o crime de honra. Mas, ao solidificá-lo na lei islâmica, o islão o tornou impossível de ser combatido no mundo islâmico. 
Isso pode ser contemplado na lei islâmica, no tocante a retaliação (manual de lei islâmica Umdat al-Salik):
o1.1 Retaliação é obrigatória contra qualquer um que mate um ser humano intencionalmente e sem direito.
o1.2 As ações abaixo não estão sujeitas a retaliação:
...
(2) um muçulmano por matar um não-muçulmano;
...
(4) um pai ou uma mãe (ou seus pais ou suas mães) por matarem seus filhos ou netos."
Repare este item (4). O problema deixa de ser cultural. A própria religião islâmica o perpetua! Segundo a lei islâmica, os pais que matarem seus filhos não sofrem punição. E o entendimento acaba se extendendo às esposas por serem elas propriedade dos homens.

Leia mais no artigo Crimes de Honra: prática sem punição na lei islâmica.

Mas José, o Brasil e o Equador também aparecem no mapa! Sim, ninguém aqui está para esconder nada. A ocorrência de crimes de honra do Brasil baixou consideravelmente com a reação da sociedade. A mulher no Brasil possui legislação que a defende (e.g., Lei Maria da Penha). Mas nos paraísos islâmicos, a legislação tende a proteger os criminosos, quanto mais islâmicos eles forem.

Vejam abaixo alguma das vítimas de crimes de honra.

Shafilea Ahmed (2003), 17 anos. De origem paquistanesa, assassinada pelos 
pais na Grã-Bretanha por se recusar a um casamento arranjado (BBC)

Aqsa Parvez (2007), 16 anos.  De origem paquistanesa, assassinada pelo pai 
e pelo irmão, no Canadá, por se recusar a usar o hijab  (The Star)

Geeti, Zainab, Sahar and Rona Shafia (2009), 13, 19, 17 e 50 anos. De origem afegã, elas foram assassinadas pelo pai e esposo, afogadas dentro do carro da família, por serem ocidentais demais. O crime ocorreu no Canadá (Wiki)

Feroz Mangal e Khatera Sadiqi (2006). De origem afegã, foram assassinados pelo irmão de Khatera, por achar que o namoro era ocidental demais. Crime ocorreu no Canadá (Ottawa)

Sanaa Dafani (2009), 18 anos.  De origem paquistanesa, assassinada pelo pai, na Itália, por ser ocidental demais e ter recusado um casamento arranjado (Memini)

Hina Salem (2006), aos 20 anos de idade. De origem paquistanesa, assassinada pelo pai, na Itália, por ignorar as probições impostas por ele. A mãe concordou com o assassinato (BBC)

Sadia Sheikh, assassinada em 2007, aos 20 anos. De origem paquistanesa, ela foi assassinada pelo seu irmão, na Bélgica, por se recusar a um casamento forçado (Memini)

Amandeep Atwal, morta em 2005, aos 17 anos. Morta pelo pai quando descobriu 
que ela havia se apaixonado por um rapaz que não era sique (Memini)

Fadime Sahindal, morta em 2002, na Suécia, aos 17 anos. 
De origem curda, foi morta pelo pai por se recusar a um casamento arranjado (Memini)

Ranya Alayed, assassinada pelo seu marido em 2014, na Grã-Bretanha, aos 25 anos. 
De origem síria, ela havia abandonado o marido devido a violência doméstica (Guardian)

Samaira Nazir, morta em 2005 aos 25 anos, na Grã-Bretanha. 
De origem paquistanesa, foi morta pela sua família por amar o homem errado (Memini)

Tulay Goren, morta em 2009, aos 15 anos, na Grã-Bretanha. 
Ameaçada pelo pai, a polícia ignorou os seus pedidos de ajuda. Ela foi assassinada 
e seu corpo nunca foi encontrado. A família era de origem curda (Guardian)

Heshu Yones, morta pelo seu pai em 2003, aos 16 anos. 
Na Grã-Bretanha. O pai não aceitou que ela namorasse um cristão (BBC)

Noor Almaleki, morta em 2011 aos 20 anos de idade. De origem iraquiana, ela foi atropelada pelo próprio pai por ser ocidental demais. Crime ocorreu nos EUA (CNN)

Sara e Amina Said, foram assassinadas em 2008 pelo seu próprio pai, egípcio, que está foragido da justiça. Elas tinham 17 e 18 anos, respectivamente. (Daily Mail)

Gazala Khan, de 18 anos, foi morta pelo seu irmão dois dias após se casar com um homem afegão. A família tinha origem paquistanesa. O crime ocorreu em 2008, na Dinamarca (Telegraph)

Tina Palistina Isa, assassinada pelos seus pais em 1998, aos 16 anos, nos EUA. Seu pai era palestino e a sua mãe brasileira. Motivo: ocidental demais. (N Y. Times

Banaz Mahmod, morta pela sua família em 2005, aos 20 anos. A família de origem curda a matou por trazer desonra para a família. Ela terminou um casamento arranjado e estava namorando um iraniano (Memiri)














quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Atualizações em janeiro de 2016

Veja o que entrou de novo no blog em janeiro de 2016

Aslim Taslam: torne-se muçulmano para a sua segurança (senão ...)

Arábia Saudita executa aiatolá xiíta, e Irã ameaça com "vingança divina"
Leia o artigo e as atualizações sobre mais este capítulo da guerra civil islâmica de 1400.



Filho muçulmano mata a sua mãe também muçulmana
Ele achou que ela não estava sendo crente o bastante, por sugerir que eles deixassem a cidade de Raqa (fonte).


A Foto do Ano de 2015
Para mim, esta é a foto do ano. As mulheres curdas lutando, junto com os homens, contra os jihadistas do Estado Islâmico e da Turquia. O melhor é que para os jihadistas, ser morto por uma mulher corresponde a perder a virgens no bordel-paraíso. Enquanto isso, 80% daqueles que fogem para a Europa são homens. Covardes. Deveriam estar lutando, mas fogem como galinhas, deixando mulheres e crianças na zona de conflito.



A "cultura do estupro" entrou de vez na Europa
Este é um artigo externo que trata da cultura do estupro que está sendo importado com a imigração muçulmana para dentro da Europa (Senso Incomum).

"Taharrush", o termo árabe para "assédio sexual coletivo" que entrou no vocabulário mundial
O assédio sexual coletivo que ocorreu na entrada do Ano Novo em várias cidades européias é uma contribuição "cultural" trazida pelos imigrantes muçulmanos. Leia o artigo completo aqui.

Alemanha: muçulmano se gaba por estupro em grupo
(Vídeo de 2011) Neste vídeo, um imigrante muçulmano se gaba de como ele e seis outros homens estupraram em grupo uma jovem virgem alemã até que ela estava "cheia de sujeira e esperma" e "completamente devastada" no chão até que "ela estava chorando e não aguentava mais." Seu amigo é muito interessado nos detalhes, mas está visivelmente desapontado porque eles não violaram o ânus dela. Eles, no entanto, "absolutamente a destruiram" e "cuspiram nela como porcos." Incidentes como esse têm aumentado exponencialmente com o afluxo maciço de imigrantes ilegais, pois as mulheres alemãs são vistas como nada mais do que "vadias" ou "caça" por muçulmanos se não usarem um lenço na cabeça. As feministas estão em silêncio e a mídia é especificamente instruída para esconder as identidades dos estupradores, e se esquivar de reportar os fatos.
Em vez disso, a única coisa que é reportada, e ampliada mil vezes, é a resistência dos moradores, como a queima de abrigos de refugiados vazios para protegerem suas cidades, descritas como "crimes de ódio" horrendos, apesar de serem os migrantes que cometem a maior parte dos incêndios por não estarem satisfeitos com a localização rural de seus abrigos. Se você tivesse que mencionar publicamente violações como essas, você seria rotulado como um "racista" ou "nazista" e, provavelmente, seria ainda acusado de cometer "discurso do ódio", que seria o fim de seu emprego ou poderia até implicar prisão para você.


Alemanha e Bélgica: homens muçulmanos são banidos de piscina pública por assédio sexual e por defecarem e masturbarem na piscina 
  • A cidade de Bornheim, próxima de Colônia, anunciou o banimento após mulheres terem sido assediadas sexualmente por homens oriundos de refúgios de asilados (Guardian).
  • Nas piscinas públicas de Zwickau e Halle, refugiados expulsaram mulheres e crianças ao masturbarem e defecarem na água. E eles também assediaram mulheres na sauna, e tentaram invadir os vestiários femininos (Der Bild, Telegraph).
  • Adolescente cercada e atacada sexualmente por sírios em uma piscina em Munique (Express)
  • Cidade belga proíbe "migrantes" de frequentarem piscinas públicas após menina ser assediada (Sputinik)
  • Breibert está reportando que a Esquerda alemã está fazendo pressão para que os muçulmanos não sejam banidos. Que decepção, a Esquerda alemã agindo contra as mulheres. 
Alemanha: menina de 8 anos atacada sexualmentent por "refugiado" em praça pública
Isso aconteceu em um parque na cidade de Hilden, Nordrhein Westfalen, em plena luz do dia. A menina passeava com o seu cachorrinho quando foi abordada por um Iraquiano, de 36 anos. Ele a agarrou, molestando-a sexualmente. A menina conseguiu se desvencilhar e correu para casa, de onde a mãe chamou a polícia. O jihadista sexual foi identificado e preso dentro de um abrigo de refugiados. (fonte)

Alemanha: nem mulher grávida escapa da fúria estupradora dos "refugiados"
Cidade de Lübben, população 14.000 pessoas. Mulher de 18 anos estava andando na rua perto de uma casa de repouso em torno das 09h30 quando ela foi cercada por seis "homens estrangeiros" que a "tocaram inadequadamente." A mulher foi ferida durante o assalto, mas ela foi capaz de escapar quando um homem que viu o ataque entrou em cena e distraiu os atacantes. (fonte)

"Merkel, a boa-vida acabou. Chegou a hora de comprar um cinto de castidade." 
Esta é a recomendação do Prof. Sami Aldeeb, Diretor do Centro de Árabe e Lei Muçulmana da Suíça em seu blog. Ele diz que a preferência por mulheres brancas já vem do tempo de Maomé. Antes dele atacar a cidade bizantina de Tabuk, ele disse para os seus capangas, digo, companheiros: "O Mensageiro de Alá disse: Conquiste Tabuk para mim, e tomem para vocês as mulheres romanas louras." (fonte, fonte)

Angela Merkel e amigas na praia, curtindo o sol como as alemães gostam. 
Isso acabou. Ou melhor, ela acabou com isso.

Alemanha: imã justifica estupros devido a roupas curtas e perfumes usado pelas mulheres
"Um imã de uma mesquita em Colônia explica que os imigrantes estão estuprando mulheres alemãs por causa de seu cheiro agradável irresistível. Em uma entrevista exclusiva com a emissora russa REN TV, traduzido por Fort Russ, o clérigo disse que as mulheres são culpadas por seu estupro por homens do Oriente Médio, porque as supostas vítimas provocam os homens com roupas reveladoras e perfume. (Speisa)

Canadá: muçulmano condenado por aliciar e estuprar 12 adolescentes
Walid Mustafa Calhoub, original da Costa do Marfim, foi condenado a 11 anos de prisão por imitar Maomé na província de Quebec (Montreal Gazette).

Arábia Saudita, país que coordena a Comissão de Direitos Humanos da ONU, condena mulher estuprada a 200 chicotadas e 6 meses prisão
Mulher saudita de 19 anos foi estuprada por 7 (sete) homens. O advogado a vítima foi banido e perdeu a sua licença, sob a alegação de ter falado com a imprensa sobre a sentença da vítima.
Isso é lei islâmica em ação. (fonte)

Paquistão: casamento menina de 6 anos para resolver briga de família
O vídeo mostra um família se opondo que sua filha de 6 anos de idade se case. Mas o que parece é que as autoridades locais tribais estão forçando a família a fazer isso. Autoridades locais significa Tribunal Islâmico impondo a Sharia, e a menina está sendo usada para se pagar uma dívida e selar a paz entre famílias. Isso ocorreu em 2012.

EUA: muçulmano estupra aos gritos de Allahu Akbar
Abdulrahman Ali sequestrou e estuprou a funcinária de um posto de gasolina em Mapletown, North Dakota. ao ser preso ela disse para os policiais que ela era sua esposa (Valley News). Ele estava exercendo o seu direito que o islão oferece para o muçulmano, apenas isso.

EUA: Taxis em Nova York registram aumento de estupros de passageiras correlacionado com aumento de motoristas muçulmanos - Prefeito culpa as mulheres
O percentual de estupros dobrou, principalmente sobre mulheres desacompanhadas que pegam taxi durante a noite. Se ela estiver sob ação de álcool a possibilidade aumenta, pois muçulmanos consideram mulher embriagada como "vadia." O Comissário Bill Bratton sugere que as mulheres passem a andar em grupos ou que amigos as dirijam. Mais uma vez o ônus é jogado sobre as mulheres. O Comissário deveria prender os estupradores e proteger as mulheres.
http://nypost.com/2016/01/06/bratton-puts-onus-on-women-to-avoid-late-night-sex-assaults/

Europa: aula de sexo para muçulmanos
Os governos europeus se dão conta que os homens muçulanos são misoginistas, estão tentando educá-los. O governo alemão está oferencendo aulas de moralidade e liberdade de expressão para os muçulmanos, com direito a cartilhas (imagem abaixo) (Express). O governo da Bélgica oferece cursos de respeito à mulher (DN). O mesmo ocorre na Noruega (Independent) e na Finlândia (FT). A Suíça usa folhetos (Express). A pergunta é, quem será que eles vão seguir, os professores ou o Alcorão?


Grã-Bretanha: contribuinte financia a poligamia
Migrantes que tiverem mais de uma esposa irá ganhar mais benefícios do governo. Isso, claro, faz com que os contribuinte britânico passe a sustentar a poligamia islâmica (fonte)

Canadá: alguns bravos protestam contra o islamismo
Isso aconteceu em Toronto. Um punhado de cristãos, alguns ex-muçulmanos, fizeram um protesto próximo ao prédio onde ocorria a convenção Revivando o Espírito Islâmico. Uma palestina ex-muçulmana convertida para o cristianismo, expôs, em árabe com tradução para o inglês, argumentou que o Alcorão é um livro discricionário, satânico, cheio de ódio contra os judeus, e que ensina os muçulmanos a amar a morte e matar os infiéis. Ela citou o "hadice do ódio" que diz que o Dia do Juízo não virá até que os muçulmanos exterminem os judeus. Ela indicou a fonte do problema como sendo o próprio Alcorão, dizendo que quem o ler ou o rejeita ou se torna um terrorista. Ela disse a verdade afirmando que Maomé foi um "mentiroso" e um "falso profeta". Um número de participantes na convenção aproximaram-se dos manifestantes cristãos, os ofendendo, acusando-os de discurso de ódio e desejando a mulher a ser queimada no fogo do inferno antes de deixar o local. A polícia foi chamada a intervir, permitindo que os dois grupos conversassem (fonte). Nunca tenha medo de falar a verdade.

Doutrinação

Jihadi Júnior: este será o futuro dos seus filhos e netos se o islamismo nos ocupar
Isa (Jihadi Júnior) é o novo mascote do Estado Islâmico. Ele é neto de um casal cristão nigeriano que se mudou para a Inglaterra à busca de uma vida melhor. Mas a filha, também cristã, acabou se convertendo ao islamismo, mudou seu nome para Kadija, se casou com um árabe residindo na Suécia e se mudou para lá. Ela teve um filho com ele (Isa), e os dois partiram para a Síria para se juntarem ao Estado Islâmico. Tornaram-se psicopatas, e levaram o filho junto. As fotos abaixo mostram o filho, Isa, agora com 5 anos de idade. Olhe bem para estas fotos. Elas mostram os nossos descendentes se o islão ocupar nos vencer e nos ocupar.  (fonte, fonte)

Isa, ou, Jihadi Júnior

EUA: professor converso instiga alunos para a jihad
Julio Pino é professor de História na Universidade Kent, no Ohio. Ele se converteu para a religião da paz e vem recrutando para o Estado Islâmico. Porém, mesmo sob investigação das autoridades americanas, ele continua ensinando (fonte).

Grã-Bretanha: livros escolares promovem Sharia
Pela terceira vez, a escola londrina Jamiatul Ummah não passou na inspeção que verificava se livros-texto que promoviam apedrejamento, e submissão das mulheres (ou seja, Sharia) haviam sido eliminados (fonte).

Grã-Bretanha: Arábia Saudita financia o extremismo nas escolas
O Primeiro-Ministro, David Cameron, admitiu que a Arábia Saudita financia as escolas extremistas (madrassas). Mesmo assim, ele não faz nada, e a Arábia Saudita continua sendo considerada com aliada (fonte).

Paquistão: Menino amputa própria mão para se 'desculpar' por insulto a Maomé
Ele fez isso após ter sido acusado publicamente de blasfêmia por um Imã, dentro de uma mesquita  (BBC).

Al-Qaeda fazendo a lavagem cerebral de crianças:





Alemanha: Travestis são apedrejadas em Dortmunt
Árabes refugiados quiseram dar uma cantada nas donzelas. Mas ái, perceberam que eram travestís. Então, ele tiveram a sua honra afetada e começaram a tacar pedras nos travestís. Por sorte, a polícia estava passando a impediu que a lei islâmica fosse aplicada à luz do dia, no coração da Europa (fonte). 
saved

Suécia: homossexual espancado até a morte
De acordo com um relatório no jornal sueco Expressen, dois marroquinos, refugiados e jovens (um deles de 16 anos) foram presos por terem espancado até a morte um homossexual que se vestia com vestidos. Isso aconteceu em Bergsjön, no leste de Gothenburg. (fonte)


Halal - Boicote Halal 

Leia este artigo "Boicote Produtos Halal" para saber o que é "comida halal" e o porquê de boicotá-la. E visite os demais links.


História (Arte e Jahiliyya)

Estado Islâmico destrói mosteiro de São Elias, de 1420 anos
Datado do ano de 595 dC, no século VI, o mosteiro de São Elias é mais um dos símbolos cristãos destruídos pelo grupo terrorista Daesh no Iraque. Ele tinha 1420 anos, e era localizado a sul de Mossul, a capital da província iraquiana de Ninawa, na região Assíria. O Estado Islâmico quer destruir toda presença e herança cristã no Iraque. (Toronto Sun)



Clérigo radical saudita, banido na Grã-Bretanha, está no Brasil
Leia o artigo completo aqui.

Um terrorista islâmico no Brasil!
Na Alemanha temos a Merkel, a Louca. Aqui, a Dilma que abra o olho para não ter a sua reputação manchada por mais este problema: a abertura dos portos para as nações inimigas (O Globo).

Um muçulmano honesto diz que quer nos degolar ou expulsar do Brasil
Ele diz "nós muçulmanos não damos direitos às outras religiões nos países muçulmanos e um dia que formos maioria no Brasil também não daremos nós fazemos e chamamos os infiéis quem não segue o islam que eles nos paguem a taxa de infiéis ou sejam expulsos do Brasil ou degolados é assim a nossa querida religião muçulmana"



A islamização da Grã-Bretanha em 2015 (Resumo)
Leia este resumo do que vem se passou em 2015 neste artigo de Soeren Kern (Gatestone Institute, espelho)

Islamização da Grã-Bretanha - vídeos
Veja a coleção de vídeos aqui.

A islamização da Alemanha em 2015 (Resumo)
Leia este resumo do que vem se passou em 2015, neste artigo de Soeren Kern (Gatestone Institute)

A islamização da França em 2015 (Resumo)
Leia este resumo do que vem se passou em 2015neste artigo de Soeren Kern (Gatestone Institute)

Hiper-crise migratória e o Estupro da Europa Ocidental
Um resumo da crise, de agosto até dezembro. Leia no link.

Vídeo: resumo da situação na Alemanha e na Europa
saved


Paris: 800 carros incendiados nas celebrações de fim-de-ano 
Os novos suseranos da Europa Ocidental entraram o Ano Novo promovendo uma "festa de arromba." Em Paris, mais de 800 carros foram incendiados, segundo Ministério do Interior. Esta "tradição" de queimar carros em Paris começou em 1980 nos subúrbios islâmicos e está se espalhando a cada ano. Ao redor da França, mais de 100 mil policiais e soldados foram mobilizados para manter a ordem.

Colônia, Alemanha: assédio sexual em massa: "arrastão sexual muçulmano" 
Em Colônia, cidade da Alemanha, ocorreram vários casos de violência sexual, quando um "arrastão" de mil muçulmanos acossou mulheres que deixavam as celebrações na famosa catedral da cidade. Segundo testemunhas, as mulheres tentavam fugir, mas os homens agarravam e enfiavam os dedos em tudo, seios, vagina, coxas, traseiro, puxavam os cabelos e diziam que elas eram animais de caça. Os ataques foram mais pronunciados na estação central de trem. Os atacantes atuavam em bandos (isso é uma característica dos psicopatas muçulmanos que sempre agem em grupo, mas são covardes quando sozinhos). A imprensa tentou abafar o caso, ou simplesmente deixou de mencionar a origem dos predadores sexuais: Oriente Médio e norte da África. E o Facebook apagou os depoimentos das vítimas devido às "tendências xenófobas" dos comentários (ou seja, chamou as mulheres vítimas de assalto sexual de racistas). Isso tudo é reflexo de imigração maciça e descontralada de islâmicos. Em portugês: ataques sexuais no Ano Novo geram medo e revolta na Alemanha. E vai piorar, pois mais estão a caminho! Por exemplo, marroquinos e argelinos estão indo em massa para as ilhas gregas.
PS. Registros policiais até o dia 20/Jan: 1.049 estupros (Breibart).

Colônia: polícia e imprensa acusadas de tentar esconder o assédio sexual em massa ocorrido na passagem de Ano Novo
Homens de 'origem árabe" foram responsáveis por agressões sexuais sobre dezenas de mulheres no centro de Colônia, na passagem do novo ano, segundo disse a polícia alguns dias após os incidentes. Uma tempestade de reclamações surgiram na mídia social acusando a imprensa e a polícia de tentarem encobrir o que aconteceu. (The Local)

Colônia, Alemanha: prefeita culpa as vítimas, pede que mulheres alemães sejam mais cuidadosas
A prefeita de Colônia, Henriette Reker, após os estupros em massa na sua cidade (cometido pelos "refugiados"), disse que as mulheres deveriam ter mais cuidado: "Isso significa que elas podem sair e se divertir, mas elas precisam ser mais bem preparados, em particular com o carnaval de Colônia que se aproxima. Para isso, iremos publicar as orientações on-line que estas jovens mulheres possam ler e se preparar." Ou seja, ela está culpando as vítimas. (fonte)

Colônia, Alemanha: polícia relata o caos e a sua incapacidade de lidar com os assaltantes sexuais "refugiados"
O autor do relatório diz que (Der Spiegel):
  • "Mulheres, acompanhadas ou não, literalmente, correram em um 'corredor polonês' através de massas de homens fortemente embriagados, que as palavras não podem descrever."
  • Os oficiais de polícia encontraram muitos pedestres perturbados, assustados e chorando, especialmente mulheres e meninas. Eles relataram "brigas, furtos, agressões sexuais contra as mulheres, etc." Grupos de migrantes do sexo masculino foram repetidamente acusados como os autores.
  • "As forças de segurança foram incapazes de controlar todos os incidentes, assaltos, crimes, etc. Havia simplesmente muitos assaltos acontecendo ao mesmo tempo."
  • Os oficiais de polícia foram impedidos de abrir seu caminho para ajudar as pessoas que pediam por ajuda por aglomerados de homens.
  • Um homem foi citado como dizendo: "Eu sou um sírio. Você tem que me tratar amavelmente. A senhora Merkel convidou-me!"
  • Testemunhas foram ameaçadas quando forneceram os nomes dos autores.
  • Pessoas rasgavam os certificados de residência na frente da polícia, sorrindo e dizendo: ".. Você não pode me tocar. Eu só vou voltar amanhã e pegar um novo." 
  • Ordens para as pessoas deixarem as instalações foram ignoradas. Prender os reincidentes não foi possível devido à falta de recursos.
  • Lutas corporais começaram quando as pessoas embarcavam nos trens. Era um "cada um por si."
  • Policiais foram "bombardeadas com fogos de artifício e alvejados com garrafas de vidro." Mesmo após a praça ter sido limpa, ocorreram "repetidamente vários confrontos físicos entre as pessoas, bem como grupos de pessoas, furtos e roubos em vários lugares ao mesmo tempo."
  • Ações dos policiais foi recebida com um nível de desrespeito. O autor do relatório disse que "nos meus 29 anos de serviço público, nunca experimentei tamanho nível de desrespeito."
Alemanha: os assédios sexuais ocorreram também em outras cidades
Breibart informa que os assédios sexuais em massa que ocorreram em Colônia também aconteceram em Berlin, Hamburgo, Stuttgart, Dusseldorf ... em cada cidade principal da Alemanha.

Alemanha recusa refugiados ucranianos
Segundo o Frankfurter Rundschau, dos mais de 7.000 ucranianos que pediram asilo em 2014 e 2015, apenas 5 por cento foram concedidos esse estatuto na Alemanha, sendo que todo o resto será enviado de volta para a Ucrânia. Muitos dos refugiados vêm diretamente da zona de guerra região Donbass, onde suas casas e meios de subsistência foram destruídos, alegações idênticas das reivindicações feitas pelos "sírios" atualmente invadindo em Alemanha. Enquanto isso, a Rússia concedeu asilo temporário para cerca de 250.000 ucranianos e Polônia recebeu um milhão de ucranianos refugiados de guerra.

Finlândia: o Estupro islâmico se fez presente até mesmo em Helsinque
A polícia finlandesa registou um nível anormalmente elevado de abuso sexual em Helsínquia na noite da passagem de ano e revelou que foi avisada sobre planos de grupos de requerentes de asilo para abusarem sexualmente de mulheres.
http://www.jn.pt/PaginaInicial/Mundo/Interior.aspx?content_id=4969115

Merkel, a Louca, sob pressão após o "arrastão sexual" de ano novo
Ela diz que os assaltos sexuais ao redor da Alemanha irá ter repercusões muito extensas. Resta saber se isso significa deportação em massa ou distribuição em massa de niqabs e burcas com a "qualidade alemã" para as mulheres alemães "se protegerem" (DW).

Notícias relacionadas ao Estupro da Alemanha
  1. Duas adolescentes foram estupradas por 4 (quatro) sírios no sul da Alemanha. Em bando, é como eles gostam de fazer, um "irmão protegendo o outro" e imitando Maomé, que, não apenas estuprou como incentivou os seus companheiros a estuprarem ejaculando dentro das mulheres estupradas. E Alá, ao invés de chamar a atenção deles dizendo que quem estupra vai pro quinto dos infernos, e definir um padrão de conduta decente para eles, disse que os muçulmanos podem estuprar as mulheres "que a sua mão direita possuir." (Telegraph)
  2. Alemanha: Pastor protestante pede que asilados possam visitar prostitutas gratuitamente. O pastor disse: "Esses homens têm uma necessidade sexual. ... Uma vila tem 100 asilados e existe muito medo por parte das mulheres de serem assediadas. ... Os donos dos bordéis devem mostrar solidariedade." O que este pastor não percebe que é exatamente isso que "esses homens" querem fazer sobre as infiéis. (JUNGE FREIHEIT)
  3. Celulares roubados durante o "arrastão sexual" de Colônia são encontrados nos alojamentos dos refugiados (Pamela Geller).
  4. Duas adolescentes alemães foram estupradas por um grupo de sírios no sul da Alemanha. Muçulmanos sempre agindo em bando. Isso é uma herança de Maomé, que sempre atacava em bandos, para pilhar e estuprar, operações conhecidas como razia (Telegraph).
  5. Ministro da Justiça Heiko Maas está convencido que os "arrastões sexuais" que ocorreram ao redor da Europa na passagem do ano foram planejados. Na verdade, isso é bem possível, pois os jihadistas, neste caso, jihadistas sexuais, são mestres no emprego da mídia social, e eles todos têm iphones (News).
  6. Indentificados 31 exilados muçulmanos dentre o "arrastão sexual" em Colônia. E, a propósito, o chefe de polícia foi mandado para aposentadoria precoce. Agora só falta a prefeita e a Merkel (esta, tem que internar no manicômio) (PJMedia).
  7. Alemanha: imigrantes muçulmanos com acesso banido em boates. Na cidade de Freiburg, as mulheres reclamaram de assédio e estupro (Daily Mail).
Colônia: polícia dispersa manifestação contra os estupros com jatos d'água 
Veja como são as escolhas. Estupro em massa por muçulmanos ... polícia ausente. Manifestação contra a islamização da Alemanha ... polícia repressora. O mais interessante é como a imprensa gosta de rotular aqueles que defendem a liberdade contra a submissão de "radicais da extrema-direita", "facistas" e "nazistas", quando na verdade eles estão lutando contra o islamo-facismo! Ser contra a islamização do seu país é sinal de sanidade mental e amor a sua pátria (RT).

Suécia: Muçulmano, mata assistente social. Polícia diz que foi acidente. 
Um menino de 15 anos, acolhido como refugiado, agradeceu a ajuda apunhalando até a morte uma assistente social. A vítma foi Alexandra Mezher, de 22 anos. Ela estava sozinha ajudando 8 homens jovens residentes do abrigo. O chefe de polícia disse "Isso não foi terrorismo. Nós achamos que tenha sido um acidente ou que tenha acontecido uma briga." Os pais dela são libaneses cristãos que imigraram para Suécia vinte anos atrás (Daily Mail). Como é que é? Ninguém é esfaqueado até a morte por acidente. A minha hipótese é que os oito tentaram estuprar em grupo a vítima, ela resistiu e acabou morta.

Suécia: refugiados estupram menino de 10 anos e colocam a polícia para correr
A polícia foi tentar resgatar um menino de 10 anos que estava sendo sistemáticamente estuprado e teve que figir para não apanhar de uma multidão de maometanos (TVi24).

Suécia prepara a expulsão de até 80 mil imigrantes
Eles chegaram ao seu território em 2015 e tiveram pedido de asilo rejeitado. A Suécia alega que não tem condições de receber mais refugiados (TVi24)

Alemanha: muçulmanos brigam entre sí por bebida alcólica
Polícia de choque teve que ser chamada para apartar briga envolvendo 200 refugiados. A birga começou quando alguns deles viram outros bebendo. Um acusando os outros de serem "maus muçulmanos." (Daily Mail)

Alemanha em 2020: maioria dos jovens será muçulmana
Estudo de professor alemão mostra como esta revolução demográfica irá acontecer. Leia no link.

Dinamarca e Suíça começam a cobrar os serviços prestados aos refugiados 
Uma tentativa de cobrir os gastos com o número crescente de refugiados. Os refugiados que possuam bens maiores do que um valor são obrigados a pagar por parte dos serviços (fonte, fonte).

Dinamarca: carne de porco feita obrigatória para 'preservar tradições alimentares'
A carne de porco foi tornada obrigatória nos cardápios das creches e escolas em toda a cidade dinamarquesa em uma tentativa de "preservar as tradições alimentares" em meio a um influxo de migrantes para a área (Express).

Islão, o "culto" predileto da Esquerda
Richard Dawkins, renomado biologista e notório ateista, é celebrado pela Esquerda por suas críticas ao cristianismo. Mas, recentemente, ele se recusou a fazer uma entrevista com um jornalista muçulmano porque este último disse acreditar em um asno alado (Buraq, que teria voado Maomé na chamada jornada noturna). Por este motivo, Dawkins foi chamado de islamófobo. A reação de Dawkins foi a seguinte: "Ridicularizar uma crença em um asno alado não é "xenofobia", não é "islamofobia", não é "racismo." É realismo sóbrio, decente, gentil e científico." (fonte)

Alemanha: Heidi Mund processada por rezar 
Heidi Mund, que ficou famosa por ter interrompido uma oração islâmica na catedral luterana da Alemanha (vídeo: https://youtu.be/17iSntPrpTs), está para ser processada pelo governo alemão, por ter pedido para as pessoas rezarem, no Dia da Unidade Alemã, a seguinte oração (fonte):
"Rezamos para os refugiados genuínos, que eles renovem a esperança para suas vidas e que nosso Senhor possa confortá-los ... contra a imigração em massa de 90% dos jovens muçulmanos que devem constituir os seus próprios países de origem e não estuprarem nossas nossas meninas e mulheres aqui; que com a Palavra de Deus - a Bíblia - eles sejam enviados de volta para seus países de origem a que pertencem. ... Contra as doenças e as epidemias os imigrantes trouxeram com eles .... Pedimos a Deus ... ao Anjo que Ele coloque sobre as fronteiras da Alemanha e os outros países europeus. "
Turquia: presidente Erdogan avança nos seus planos ditatoriais
O Ergodan pretende mudar a constituição turca, de modo a que o presidente tenha (muito) mais poderes. Existem muito autores que dizem que Erdogan deseja se recriar o califado otomano. Na verdade, ele dá sinais claro disso. Ele citou Hitler como exemplo de um presidente que ganhou mais poderes dentro de um regime parlamentarista (fonte). Em outra medida, ele está atacando e prendendo os intelectuais que defendem que o Genocídio Armeno existiu (fonte).

Suécia: Estupros, Absolvições e Cabeças Cortadas
A islamização da Suécia continua a passos largos (Gatestone).

Suécia suicida treina muçulmanos a atirarem
O Estado sueco está a financiar um curso de formação de "franco-atirador" para recém-chegados "refugiados" do Terceiro Mundo como parte de seu "programa de integração" - apesar os crescentes ataques de refugiados-terrorista em toda a Europa (fonte).

França: Prefeito denuncia oferta de muçulmanos para proteger a igreja no Natal 
Robert Menard, prefeito eleito de Beziers, cidade de 72.000 habitantes, está enfrentando críticas pesadas e acusações de racismo após denunciar drasticamente a oferta de um grupo muçulmano para proteger uma igreja durante uma missa da meia-noite de Natal. O prefeito escreveu no site da prefeitura um artigo intitulado "Guarda Muçulmano? E o que é que o Estado faz" No artigo ele pergunta: "Um guarda muçulmano" para proteger "uma igreja católica"? Contra quem? Contra hordas de monges budistas? Contra Xamãs siberianos? Quem eles estão zombando aqui? E para onde este país está indo? Desde quando os incendiários protegem-nos contra incêndios?" (Frontepage)

Noruega: polícia de Oslo admite ter perdido a cidade
Países que eram tranquilos e seguros tornaram-se em antros de crime e estupros. Grønland, que fica a duas estações de trem do Parlamento, se parece mais como uma mistura de Karachi, Basra, e Mogadishu. Drogas são vendidas abertamente, os homens são assaltados e as mulheres estupradas. Nos últimos 10 anos mais de 4 mil pessoas foram assaltadas. A polícia praticamente desistiu. Uma imigrante, Fatima Tetouan, diz que é Grønland é mais muçulmana do que Marrocos." (fonte)

Itália esconde sua cultura para agradar o aiatolá do Irã. A recompensa: mais 400 mil refugiados estão a caminho
1. Governo italiano cobriu estátuas de mulheres nuas para não ofender o açougueiro, digo, presidente do Irã, durante a sua visita a Roma, além de não servir vinho no jantar de estado. Esta atitude é uma afronta aos italianos, à cultura italiana, e aos iranianos que lutam contra a tirania (BBC, TVi24). Já na França, or iranianos cancelaram o jantar com o presidente francês porque este se recusou a não servir vinho (TVi24).
2. 400 mil imigrantes irão invadir a bota itálica nas próximas semanas. E, com o controle de fronteiras reinstalado, eles irão todos ficar lá (Breibart).

Eslováquia : "O multiculturalismo é uma ficção"
Foi o que disse o primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, reiterando seu objetivo de negar asilo a migrantes oriundos de países islâmicos. Eslováquia recebeu apenas 169 refugiados em 2015 (DW).

Áustria: oficiais do exército mostram seu descontentamento
Oficiais do exército estão acusando o governo de estarem desmanchando as forças armadas e, com as suas ações, ameaçando a segurança da nação (vídeo).

Europa já está em guerra 
Václav Klaus, ex-presidente e ex-primeiro-ministro da República Checa (entre 1992 e 1997), deu uma palestra na Alemanha. Este vídeo mostra quando ele diz que a Europa já está em guerra.

Irlanda: pastor processado por dizer que o islão foi concebido no inferno
Ele acabou sendo inocentado ao explicar que estava atacando a teologia islâmica e não os muçulmanos. Mas só o fato dele ter sido julgado por isso, já é um sinal que o mundo endoideceu. Isso é a lei da blasfêmia islâmica sendo acolhida pelos tribunais europeus. Preocupante. (SkyNews)

Em 1989, Dom Marcelo Lefebvre já alertava sobre o islão
Ele alertava sobre o perigo de se deixar o islão entrar desimpedido na Europa, dizendo "suas filhas serão estupradas."


Alemanha: muçulmanos acham alemães nojentos
Este vídeo mostra que a Alemanha em particular, e a Europa Ocidental em geral, tem um problemão que não começou de com a invasão islâmica mais recente. O fluxo migratório de muçulmanos tem sido muito intenso nas últimas décadas e sociedades paralelas têm sido formadas. No vídeo, muçulmanos moderados, jovens, falam sobre a sua integração na sociedade alemã: inexistente.



Submissão, livro de Michel Houellebecq, antevê uma França islâmica em 2022



Em 2015, 99.56% dos homens-bomba eram muçulmanos
Estudo mostrou que, dos 452 ataques suicidas de homens-bomba ocorridos em 2015, 450 foram feitos por muçulmanos. Apesar de ter havido um decréscimo do número de atentados comparados com 2014 (592), os homens-bomba mataram mais gente em 2015 (4.400, comparados aos 4.370 de 2014). Houve um aumento substancial de mulheres se explodindo para matar os outros. No total, 124 mulheres promoveram carnificina em nome de Alá, sendo que em 2014 apenas 19 mulheres se explodiram. A maioria esmagadora foi cometida por muçulmanos sunitas salafistas. Dos dois ataques que não foram cometidos por muçulmanos, um foi cometido por curdos separatistas e outro por um grupo de esquerda turco (INSS). Hum, considerando que curdos e turcos são majoritáriamente muçulmanos, talvez 100% dos homens-bomba eram muçulmanos!

Um ano de "Charlie Hebdo": Veja lá o que você diz, infiél. Isso pode lhe custar a vida
Leia este artigo escrito no primeiro aniversário dos ataques jihadistas em Paris., em janeiro de 2015.

Jihad contra a Índia: base aérea de Pantok atacada por jihadistas, pela "causa de Alá" (impor a Sharia)
Base da Força Aérea Pathankot foi atacado agora pelo terror islâmico. Quatro militantes jihadistas foram mortos e três soldados indianos foram mortos em um ataque terrorista na base da Força Aérea em Pathankot, Punjab na manhã de sábado (ontem, dia 2). Cerca de uma hora após o encontro ter terminado, tiros foram novamente ouvidos e as forças de segurança suspeitam que um quinto militante pode ser escondido dentro da base. Os terroristas muçulmanos estavam gritando, "Allha Hu Akbar", "Estado islâmico Jindabad", "O Paquistão Jindabad", etc. (fonte)

Paris: muçulmano empunhando faca e gritando Allahu Akbar ataca delegacia de polícia
O jihadista incompetente acabou morto na hora. Isso aconteceu no aniversário da jihad contra o Charlie Hebdo (LA Times). Foi descoberto que este terrorista vivia em um ref'ugio para requerentes de asilo na Alemanha (Washington Post).

França: polícia prende homem com armas e Alcorão no EuroDisney
Ele foi preso próximo ao parque de diversões no EuroDisney, em Paris, com dois revólveres e um guia do Alcorão dentro de uma bolsa. A mulher que o acompanhava está foragida. Os dois são franceses, o que os torna convertidos para a religião da paz (DailyMail).

Egito: jihadistas baleiam ônibus de turismo cheio de judeus
Matar judeus é imitar Maomé, que degolou 900 judeus em uma única noite porque eles se recusaram a aceitá-lo como profeta (ou seja, lutar para ele). (fonte)

Líbia: jihadistas matam 60 policiais e ferem 200 com um caminhão bomba
Isso aconteceu próximo a cidade de Zliten, que o Estado Islâmico tenta conmquistar. Allahu Akbar, animal! (fonte)

Mais louvor a Alá ao redor do mundo
Uma pequena lista da ação dos soldados sagrados mujahadin jihadistas ao redor do mundo, matando pessoas da maneira mais covarde possível:
  1. Iraque - em Bagdá, os clientes de um Shopping Mall foram atacados por jihadistas, um homem-bomba, um carro-bomba, e jihadistas armados matando os clientes que tentavam fugir, resultando em 18 mortos e 40 feridos; em um subúrbio de Bagdá um homem-bomba matou 7; e na cidade de Muqdadiya, duas bombas matarem 23 e feriram 51 (Reuters).
  2. Turquia - homem-bomba sírio matou 10 pessoas, sendo 8 turistas, no centro turístico de Istanbul, Sultanahmet, entre a Igreja de Hagia Sofia e a Mesquita Azul. (BBC)
  3. Austrália - polícia evacuou o prédio da Ópera de Sydney e interrompe o fluxo das barcas, como medidas precaucionárias ante a ameaças de jihadismo (NSW). 
  4. Burquina Faso - jihadistas adentram o Hotel Splendid, no centro da capital, popular com diplomatas, tomando reféns e os executando friamente até serem mortos pela polícia. Um total de 27 pessoas foram assassinadas, para um número ainda não divulgado de feridos. Os 4 mujahadin foram mortos. (CNN). 
  5. Paquistão - Chacina na universidade Bach Khan, em Peshwar, cometida por jihadis Talibans (o grupo já assumiu a autoria) e ocorreu hoje (20-01-2016): 22 mortos e 120 feridos (fonte).
Indonésia: jihadismo em Jakarta, homem-bomba e tiroteio 
A capital, Jakarta, foi palco de atentados pela causa de Alá. Um homem bomba na entrada da cafeteria Starbucks frequentada por extrangeiros, resultando em 2 mortos e dezenas de feridos. Outros jihadistas se refugiaram no Teatro Djakarta. De um total estimado em 14 jihadistas, apenas 3 foram presos (BBC).

Indonésia: lista de alguns outros atentados anteriores
A lista não é completa, pois não inclue os atentados contra igrejas cristãs e templos hindús e budistas.
  • Julho 2009: Sete pessoas morreram e dezenas ficaram feridas quando dois mujahadin suicidas se explodiram dentro dos hotéis Marriott e Ritz Carlton, em Jacarta (fonte). 
  • Outubro 2005: Ataques suicidas em Bali deixam 20 mortos, incluindo os bombardeiros (fonte)
  • Setembro 2004: Bomba fora embaixada australiana em Jacarta mata pelo menos nove pessoas (fonte)
  • Agosto 2003: Bomba em Jakarta Marriott Hotel mata 12 e fere 150 pessoas (fonte)
  • Outubro 2002: atentados de Bali matam 202, incluindo 88 australianos (fonte)
  • 24 dezembro de 2000 - na véspera de Natal, uma série de explosões varreram a Indonésia. Elas faziam parte de ataques terroristas alta escala  da Al-Qaeda e Jemaah Islamiyah. Os ataques envolveram uma série de atentados à bomba contra 24 igrejas em Jacarta,Pekanbaru, Medan, Bandung, Batam Island, Mojokerto, e Sukabumi, resultando na morte de 19 pessoas e ferindo outras 120 (fonte, fonte). 
PS. Todos os 36 jihadistas que participaram dos atentados em Bali, que não foram sentenciados à morte, foram postos em liberdade em 2014 (Daily Telegraph).

Jihad Cultural

Sugestão de Mordechai Kedar: "Eu acho que devemos corrigir o vocabulário que usamos, e chamar os bois pelos nomes. É tudo sobre a Jihad, o esforço islâmico a se espalhar globalmente Islã ":

Ataque terrorista - deve ser chamado Jihad Militar.

Incitamento - Jihad através da mídia.

Al-Jazeera - Canal do Jihad da mídia.

Impor a lei Sharia - Jihad judicial ou Jihad legislativa .

Boicotar Israel (BDS) - Jihad Econômica.

A emigração para a União Européia e os EUA - Emigração da Jihad / Hijra Jihad.

Construções de Mesquitas, instituições de ensino islâmicos - Jihad Cultural.

Comida Halal - Jihad dietética.

Hijab ou Niqab - Roupa da Jihad.

Atividade da Associação de Estudantes Muçulmanos - Jihad acadêmica.

Atividade de organizações islâmicas (como a CAIR nos EUA) - Jihad Política / Jihad Pública.

Organizações não muçulmanas de apologia ao islão - idiota úteis que servem a Jihad.

Recolher dinheiro para instituições de "caridade islâmicas" - Jihad Financeira.

Politicamente correto - Submissão a Jihad.

Acordo com o Irã - o apoio ocidental para a Jihad Nuclear.


Jihad da Vitimização 

EUA: Duzentos muçulmanos tentaram intimidar o frigorífico Cargill, mas acabaram todos demitidos
A Cargill Meat Solutions, em Fort Morgan, no Colorado, demitiu 200 empregados muçulmanos. E a causa foi o tempo para a oração que eles dizem terem que fazer todos os dias, todas as horas. A empresa permitia que 2 se ausentassem por vez, para não paralizar a linha de produção. Esta política vem funcionando a mais de 10 anos. A CAIR, uma entidade que se diz de "direitos humanos" mas que na verdade segue a diretriz da Irmandade Muçulmana, convenceu os 200 a fazerem greve. Como eles estavam errados, foram todos demitidos. Mas por que a CAIR queria mudar as regras que vinham funcionando? Para enfiar a lei islâmica goela à dentro dos infiéis. Cada vez que cedemos, mais perto da Sharia ficamos. Mas o fato é que a Cargill apenas foi consistente com as suas práticas. Quem quebrou a lei foram os muçulmanos, usados como massa de manobrar por uma entidade jihadista (fonte). 



Irlanda: pastor processado por dizer que o islão foi concebido no inferno
Ele acabou sendo inocentado ao explicar que estava atacando a teologia islâmica e não os muçulmanos (fonte). Mas só o fato dele ter sido julgado por isso, já é um sinal que o mundo endoideceu.


Rússia: Imã preso, mantinha armas e explosivos na mesquita
Também foi encontrada "literatura extremista" (deixa eu advinhar, um exemplar do Alcorão?). O imã era líder da organização religiosa Faizullah Ismailov, que segue o salafismo, e que planejava a criação de uma célula salafista em Belgorod, cidade no sudoeste da Rússia.
Veja bem, o que o imã faz não tem nada de radical. Ele está apenas seguindo a sua religião e buscando sua implementação política. (fonte)


Perseguição aos cristãos atinge nível de "limpeza étnica"
Leia artigo completo aqui.

Porta Abertas relata sobre a perseguição em 2015
A Classificação da Perseguição Religiosa do ano de 2015 foi publicada. Nela consta a lista dos 50 países com maior grau de perseguição para com aqueles que seguem a Cristo. Dentre eles, 40 são países muçulmanos. Um total de 100 milhões de cristãos estão submetidos a algum tipo de perseguição pelo fato de serem cristãos, sendo que 7.100 foram mortos em 2015, 3 mil a mais que em 2014. Leia mais neste artigo do blog (" ") e no site do Portas Abertas.




Irã: Pastor Saeed Abedini e mais outros foram libertados da prisão! 
(No meio de tanta notícia ruim, vem algumas notícias boa)
Além de Saeed Abedini, outros três iranianos também estão livres, Jason Rezaian, Amir Hekmati e Nosratollah Khosravi. Desde setembro de 2012, Saeed estava cumprindo uma sentença que duraria 8 anos, sob a acusação de atentar contra a segurança nacional, devido ao seu envolvimento com o cristianismo, e acusado de ter abandonado o islamismo (Portas Abertas). Um outro preso, Farshi Fathi foi libertado, em dezembro de 2015, depois de 5 anos de prisão (Portas Abertas).
Ainda existem mais de 70 cristãos presos no Irã acusados de apostasia.

Alemanha: cristãos são perseguidos por guardas muçulmanos
Muçulmanos foram contratados para trabalhar como guardas nas residências de refugiados. Mas os cristãos, que fugiram países islâmicos por causa da perseguição, se veem vítimas da mesma perseguição, agora por guardas muçulmanos contratados pelo governo alemão. Eles reclamam de abusos, agressões e proibição de mostrarem a Bíblia, e muitos fogem dos abrigos (Die Welt, via Breibart)


Israel, Mitos e Fatos
Trata-se de uma publicação que discute as acusações mais comuns feitas contra Israel e os israelenses. Disponível em pdf

Brincando de esfaquear judeus
Crianças palestinas praticam, visando as suas futuras carreiras, em um subúrbio de Jenin. Tanto a Autoridade Palestina quando o Hamas garantem que o ódio contra os israelenses em geral, e contra os judeus em particular, germinem desde a infância. A população sob controle destes grupos já é radicalizada desde o berço.


Judia assassinada de modo semelhante a Asma bint Marwan
A mulher da foto, Dafna Meir, tinha 38 anos, era mãe de 6 filhos e enfermeira dedicada. Ela foi foi assassinada na noite do domingo passado,  em sua casa, por um terrorista (jihadista) que continua foragido. O seu esfaqueamento, na sua casa, em fronte dos seus filhos, me faz lembrar o assassinato de Asma bint Marwan, morta a mando de Maomé.


Outra israelense esfaqueada
Um atacante palestino esfaqueou e feriu uma mulher israelenses grávida  na Cisjordânia na segunda-feira antes de ser baleado (CBC). A Jihad das Facadas continua.


Punições Islâmicas (sob a lei islâmica)

Iêmen: mulher acusada de adultério e prostituição é enterrada até o pescoço e apedrejada até a morte
Isso aconteceu na cidade de Al Mukalla, sob o controle da Al-Qaeda na Península Arábica (AQAP) desde abril do ano passado. (Daily Mail)


Clérigo promove mentir para converter os infiéis
Mentir é permitido quando a mentira ajuda a avançar a causa de Alá.