sábado, 30 de agosto de 2014

Islamização acontece aos poucos. Um exemplo em São Bernardo do Campo


Minha avó (e certamente a avó de muitos de vocês) dizia que "sopa quente se come pelas beirinhas." Esta frase tem servido como analogia a muitas situações da vida, bem como a estratégia de ação. Vejamos um exemplo. 
No dia 8 de agosto houve uma pequena manifestação contra o "Genocídio em Gaza." Apenas mais uma, alguém diria, com a diferença desta ter sido realizada em São Bernardo do Campo. Vamos apenas mencionar fatos relacionados a esta manifestação, sem fazermos (muitos) comentários, deixando que você "ligue os pontos."

Esta manifestação foi organizada por um conjunto de entidades, tais como a CDIAL (Centro de Divulgação do Islam para América Latina), a mesquita Abu Bakr, de São Bernardo do Campo (veja foto abaixo), sindicatos de servidores municipais, CMP (Central de Movimentos Populares), MSTL (Movimento Sem Terra de Luta), MST (Movimento dos Sem-Terra), partidos políticos (PCR, PT), o "Movimento Negro-Muçulmanos-Católicos-Evangélicos" (eu não sei bem o que vem a ser isso), a Campanha para a libertação de Ahmad Saadat (um ex-líder da Frente Popular para a Libertação da Palestina, sob custódia em Israel) e pelo grupo ZUMALUMA Embú das Artes.


Cartaz convocando para a manifestação, sendo que o local de encontro e aglomeração dos manifestantes foi dentro de em uma mesquita

Mesquita Abu Bakr, em São Bernardo do Campo. Abu Bakr foi um dos principais companheiros de Maomé, tendo-o sucedido após a sua morte, tornando-se o primeiro califa. Ele era o pai de Aisha, a esposa-criança de Maomé. O atual califa do Estado Islâmico tem como nome de guerra Abu Bakr Al-Bagadadi.

Antes de continuarmos, um pequeno desvio no assunto do artigo, para falar sobre este grupo ZUMALUMA Embú das Artes. Segundo o site, a Fundação Zumaluma foi fundada pelo rapper Kaab Al-Qadir (presidente da Fundação), de um desejo de prover aos moradores do Inferninho sua própria noção histórica. Ainda segundo o site, "as influências do Hip-Hop e da cultura negra, assim como o espírito de resistência, deram nome à Associação ZUMALUMA, formado pelas iniciais de ZUmbi dos Palmares, MAlcolm X, Martin LUther King e Nelson MAndela." Malcolm X verdadeiro nome era Al Hajj Malik Al-Habazz. (Lembrem-se que o islão no Brasil tem os negros como alvo)

Segundo uma entrevista ao Diário de São Paulo, Kaab Al Qadir (cujo nome de batismo deve ser diferente, pois ele é brasileiro) participou de alguns grupos de rap  desde o final dos anos 80 como o Tribunal Negro, Organização Xiita, Diagnóstico e Jihad Brasil, Ele criou projetos sociais, festivais de música, uma biblioteca comunitária e um espaço para orações e divulgação da religião islâmica chamada Mussalah Rahmah (Casa da Misericórdia).

Cartaz da Zumaluma

Agora, voltemos a manifestação. Conforme visto, diversas organizações se fizeram presente. Nas fotos abaixo vemos bandeiras dos movimentos dos sem-terra (MST e MSTL). Pode-se ver também bandeira do PSTU.


 Bandeiras dos movimentos dos sem-terra e do PSTU

A manifestação ocupou a entrada principal da Igreja Matriz de São Bernardo do Campo. Fazer presença junto a templos religiosos das outras religiões é uma das maiores expressões de supremacia do islão político. (a Igreja Matriz daria uma bela mesquita, não é?)

Manifestantes islâmicos ocupam a entrada da Igreja Matriz

Para juntar ultraje à ofensa, um padre, vestido como se fosse celebrar alguma cerimônia religiosa, não só apenas participa da manifestação, mas se manifesta dando apoio aos manifestantes. Será este o pároco Giuseppe Bortolato (CS)? Talvez com a melhor das intenções, o que este padre fez foi legitimizar a manifestação e a presença do islão como um interlocutor.

Ou talvez este padre, com a melhor das boas intenções, está caindo no "conto do diálogo inter-religioso", que só existe nos países que não sejam islâmicos, pois nos países islâmicos, regidos pela Lei Islâmica (Sharia), é crime promover qualquer outra religião que não seja o islão.

(o islamismo é mono-cultural)

Padre participa da manifestação, dando legitimidade à mesma

É de se notar também a presença da bandeira do Hamas na foto da ocupação da entrada da Igreja Matriz (acima), bem como na foto mostrada abaixo. Veja qual o simbolismo por detrás da Bandeira do Hamas (ADL):
Descrição: Um círculo de marfim preto-aparado é ajustado contra um fundo retangular verde. A [mesquita] Al Aksa está no centro do círculo em segundo plano. Em primeiro plano, um homem, com a cabeça coberta por uma lenço (chamado de kafiya), possui um rifle M-16 na mão direita e um Alcorão em sua mão-esquerda. Uma bandeira esvoaçante verde acima de sua volta diz que "não há outro Deus além de Alá." As letras vermelho em torno do diâmetro do círculo dizem: "Izzedine al-Qassam Brigadas dos Mártires". As letras verdes abaixo é um verso do Alcorão: "Lo, você não os está matando, mas foi Alá que os matou."
Explicação: O imaginário islâmico neste emblema é codificado no uso do verde, que é a cor do Islão, assim como na bandeira e no Alcorão sendo segurado pela mão da figura. O verso do Alcorão na parte inferior refere-se ao papel dos fiéis muçulmanos na luta dentro da guerra santa (Jihad). A Al Aksa evoca tanto o Islã, assim como o nacionalismo palestino. O rifle M-16 significa militância do grupo e sua prontidão para usar a violência .
Lema do Hamas: Alá é a finalidade, o Profeta o modelo a ser seguido, o Alcorão a Constituição, a Jihad é o caminho, e a morte por Alá é a sublime aspiração. 

A bandeira do Hamas sendo empunhada durante a manifestação (esquerda) e uma figura da bandeira do Hamas por completo (direita)

Parece “bonitinho” para a “esquerda revolucionária” apoiar o Hamas, afinal, eles “são revolucionários.” Só que a revolução do Hamas, como de qualquer grupo islâmico, tem como o objetivo a implementação da lei islâmica (Sharia). Precisamos saber o que a lei islâmica tem reservado para nós, kafirs (não-muçulmanos). 

Outro fato que merece menção é esta foto, que mostra muçulmanos brasileiros levantando o dedo indicador, um gesto sunita que representa a "unicidade de Alá." Este sinal identifica e une os sunitas de todo o mundo.

Muçulmanos brasileiros levantam o dedo indicador, afirmando que apenas Alá é deus, em frente a Igreja Matriz de São Bernardo do Campo (o rapper Kaab Al-Qadir é o segundo a partir da esquerda)

Muçulmanos extrangeiros, "participando de um acampamento", também levantam o dedo indicador: apenas Alá é deus.

Lembre-se sempre, o objetivo político de todo o muçulmano é lutar pela implementação da lei islâmica (Sharia) em todo o mundo, diferindo apenas o modo de operação, seja ele violento e rápido, ou pacífico e vagaroso.

Lembre-se também da Lei dos Números do Islão.

Agora vejamos um pouco da ação política e entender como a islamização se desenvolve. Membros do CDIAL (Centro de Divulgação do Islam para América Latina) foram até a Assembléia Legislativa de São Bernardo do Campo, promovendo a manifestação, e também solicitando que a Assembleia Legislativa aprovasse uma moção de repúdio contra o governo de Israel acusando-o de promover um genocídio na Palestina.

Visita à Assembléia Legislativa de São Bernardo do Campo

O Vereador Toninho da Lanchonete (PT) foi aparentemente um dos mais ativos em prol da aprovação da moção, a tal ponto de colocar na sua website a imagem e o texto abaixo. Nesta mesma website não encontrei menção alguma as atrocidades cometidas pelo Estado Islâmico.

Vereador Toninho da Lanchonete (PT) durante a manifestação. Ele é o terceiro a partir da direita.

Mulheres muçulmanas posando para uma foto de fronte ao símbolo da CDIAL

É interessante notar que este é um dos modos (não apenas o único*) de como acontece a islamização na Europa: através de ligações de grupos de ativistas islâmicos com setores políticos da Esquerda. E esta aliança dá dividendos: em 2012, 93% dos muçulmanos franceses votaram no Partido Socialista de François Hollande, no segundo turno das eleições, um fator importante na vitória socialista (Business Insider).

O Brasil segue este rumo? Eu torço para que a Esquerda acorde.

(*que fique registrado que existem outros fatores que permitem a islamização, como interesses econômicos ligados a Sharia financeira, conquista de mercados no Oriente Médio, etc.)

Enquanto isso, nenhuma menção sobre as atrocidades de verdade. Os dois grupos, a "esquerda revolucionária" e os grupo islâmicos, parecem só se interessar em algum conflito quando ele envolve judeus, de modo a demonizá-los.

Os dois desenhos abaixo retratam isso muito bem.





Vejam bem, nada do que foi descrito neste artigo é ilegal. O direito à associação é garantido na Constituição, bem como o direito a representação política. Se setores da Esquerda e os islamistas se aliam, isso é um direito deles.

Contudo, é nosso direito, e nosso dever, de defender a nossa Constituição de modo que ela não seja, no futuro, corrompida com aspectos da Sharia, ou mesmo, substituida por ela.

Caso contrário, o nosso futuro será o mesmo da Europa.


terça-feira, 26 de agosto de 2014

Arcebispo de Mosul, no exílio, alerta que nós seremos vítimas de perseguição em breve


"Os nossos sofrimentos são um prelúdio para pessoas como vocês, os europeus e os cristãos ocidentais, entendam que vocês também sofrerão no futuro próximo"
"Tentem nos entender. Os seus princípios liberais e democráticos não valem nada aqui."
"Vocês estão em perigo. Vocês devem tomar decisões fortes e corajosas, mesmo à custa de contradizer seus princípios."
"Vocês têm que refletir sobre a nossa realidade no Oriente Médio, porque vocês estão dando boas-vindas em seus países a um número cada vez maior de muçulmanos." 
"Vocês acham que todos os homens são iguais, mas isso não é verdade. Islão não quer dizer que todos os homens são iguais. Seus valores não são os nossos valores. Se vocês não entenderem isso em breve vocês vão se tornar vítimas do inimigo que vocês acolheram em suas casas."
O alerta feito pelo Arcebispo de Mosul deveria reverberar nos nossos ouvidos, corações e mentes, pois ateus, agnósticos, cristãos, judeus, budistas, hindus, macumbeiros, xintoístas, etc., são TODOS "descrentes" ou "não-muçulamos." Todos estão na "linha de tiro" da jihad islâmica.

Mas "descrentes" e "não-muçulamos" são termos neutros. Ao invés, o Alcorão usa a palavra Kafir, e a palavra Kafir não é uma palavra neutra, mas sim uma palavra altamente depreciativa e aviltante. Segundo o Alcorão, o Kafir é mau, nojento, a mais baixa forma de vida. Kafirs podem ser enganados, odiados, subjugados, escravizados, torturados e mortos. Assim, a palavra usual "descrente" não reflete a realidade política do Islã.

A palavra Kafir compreende todos os "descrentes", independente do nome com o qual eles se diferenciam. Todos eles podem ser tratados da mesma forma.

É interessante notar que as escrituras islâmicas dedicam uma grande quantidade de energia para o Kafir. A maioria  do Alcorão (64%) é dedicada ao Kafir, e quase toda a Sira (biografia de Maomé, 81% dela) lida com a luta de Maomé contra os Kafir. O Hadice (Tradições de Maomé) dedica 32% do texto ao Kafir. No geral, a Trilogia (Alcorão + Sira + Hadice) dedicam 60% do seu conteúdo para o Kafir. (1)

O Kafir pode ser degolado:
47: 4 Quando você encontrar os infiéis no campo de batalha, cortem-lhes as suas cabeças até que os tenha derrotados completamente e depois leve os prisioneiros e amarre-os com firmeza.
Pode-se tramar contra o Kafir:
86:15 Eles tramam e elaboraram esquemas contra você [Maomé], e Eu tramo e elaboro esquemas contra eles. Portanto, lide calmamente com os infiéis e deixe-os sozinhos por um tempo.
O Kafir pode ser aterrorizado:
8:12 Então o Senhor falou a Seus anjos e disse: "Eu estarei com você. Dê força aos crentes. Vou plantar o terror nos corações dos infiéis, corte as suas cabeças e até as pontas de seus dedos!"
Um muçulmano não é o amigo de um Kafir:
03:28 Os crentes não devem tomar Kafirs como amigos em detrimento de outros         crentes. Aqueles que fazem isso não terão a proteção de Alá e vão ter apenas a si mesmos como guardas. Alá avisa a temê-Lo pois tudo retorna para ele.
O Kafir é amaldiçoado:
33:60 Eles [Kafirs] serão amaldiçoados, e onde quer que eles forem encontrados, eles serão presos e assassinados. Essa foi a prática de Alá com aqueles que vieram antes deles, e você não vai encontrar nenhuma mudança na forma de atuação de Alá.
Mas espere aí, José. Os cristãos e os judeus não são o "povo do livro"?

Os muçulmanos dizem que cristãos e judeus são o "Povo do Livro" e os irmãos na fé de Abraão. Mas no Islão, você é um cristão, se e somente se, você acreditar que Cristo foi um homem que era um profeta de Alá; não existe Trindade; Jesus não foi crucificado nem ressucitou; e que Ele voltará para estabelecer a lei islâmica (Sharia). Para ser um verdadeiro judeu, você deve acreditar que a Torá foi corrompida, e que Maomé é o último na linha de profetas judeus.

Aviso ao Ocidente: Arcebispo de Mosul diz que os cristãos ocidentais, em breve, serão vítima de perseguição

O exilado arcebispo caldeu de Mosul, Amel Nona tem algumas palavras duras de advertência, para aqueles no Ocidente, que pensam que as perseguições do Iraque "não pode acontecer" onde eles estão. "Os nossos sofrimentos são um prelúdio para pessoas como vocês, os europeus e os cristãos ocidentais, entendam que vocês também sofrerão no futuro próximo", diz Nona.

LOS ANGELES, CA (Católica Online) - Em uma mensagem extremamente poderosa, Nona ressalta que os cristãos, que vivem em Mosul a mais de 1700 anos, e agora estão sendo expulsos ou mortos pelo Estado islâmico.

"Os nossos sofrimentos são o prelúdio das pessoas que você, os europeus e os cristãos ocidentais, também sofrerá no futuro próximo," Pensamos que estes trágicos acontecimentos não nos afetam. Arcebispo Nona diz. "Perdi minha diocese. A configuração física do meu apostolado foi ocupada por radicais islâmicos que nos querem convertidos ou mortos. Mas minha comunidade ainda está viva."

Em seguida, Nona faz uma crítica dura contra a 'política de fronteiras abertas', tal como praticada por muitas nações ocidentais. "Tentem nos entender. Os seus princípios liberais e democráticos não valem nada aqui."

"Vocês têm que refletir sobre a nossa realidade no Oriente Médio, porque vocês estão dando boas-vindas em seus países a um número cada vez maior de muçulmanos." Nona então disse que muitos pensam que esses imigrantes estão vindo para encontrar emprego ou para escapar da violência. Na verdade, diz Nona, muitos estão vindo com fins missionários, para converter, de uma forma ou de outra, todos para o Islão.

Nona disse que os nossos pontos de vista constitucionais e sentimentais nos cegam, não para o evento, mas para as suas causas.

"Além disso, vocês estão em perigo. Vocês devem tomar decisões fortes e corajosas, mesmo à custa de contradizer seus princípios", diz Nona.

O que reforça a linha de pensamento de Nona é o fato de que muitos muçulmanos que imigram para a Europa ou para as Américas muitas vezes não assimilam. Eles formam seus próprios enclaves, onde eles podem praticar a sua própria religião, sob a sua própria lei.

"Vocês acham que todos os homens são iguais, mas isso não é verdade. Islão não quer dizer que todos os homens são iguais. Seus valores não são os nossos valores. Se vocês não entenderem isso em breve vocês vão se tornar vítimas do inimigo que vocês acolheram em suas casas."

fonte: Catholic Online

O fato é que estamos sendo avisados. Vamos virar o rosto para o lado fingindo que nada acontece ou vamos agir e nos defender, antes que seja tarde demais?

Vamos esperar o Brasil ficar do mesmo jeito que a Europa se encontra hoje até começarmos a agir?

(1) Dados do Center for the Study of Political Islam.




domingo, 17 de agosto de 2014

Os 20 Mandamentos mortais do "diabólico" ("satânico") Maomé, o fundador do Islão


  1. Tu deves estuprar, casar e divorciar meninas na pré-puberdade. Alcorão 65:4, 4:3
  2. Tu deves ter relações sexuais com escravas sexuais e trabalhadoras escravas. Alcorão 4: 3, 4:24, 5:89, 33:50, 58: 3, 70:30
  3. Tu deves bater nas escravas sexuais, nos trabalhadores escravos, e nas esposas. Alcorão 04:34
  4. Tu deves ter quatro testemunhas masculinas muçulmanas para comprovar um estupro. Alcorão 24:13
  5. Tu deves matar aqueles que insultam o Islão ou Maomé. Alcorão 33:57
  6. Tu deves crucificar e amputar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  7. Tu deves matar os não-muçulmanos para garantir receber as 72 virgens no céu. Alcorão 9: 111
  8. Tu deves matar quem deixar o Islã. Alcorão 2: 217, 4:89
  9. Tu deves decapitar não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 47: 4
  10. Tu deves matar e morrer por Alá. Alcorão 9: 5
  11. Tu deves aterrorizar os não-muçulmanos. Alcorão 8:12, 8:60
  12. Tu deves roubar e furtar os não-muçulmanos. Alcorão Capítulo 8 (Saque / Espólios de Guerra)
  13. Tu deves mentir para fortalecer o Islã. Alcorão 3:28, 16: 106
  14. Tu deves lutar contra os não-muçulmanos, mesmo que você não queira. Alcorão 2: 216
  15. Tu NÃO deves tomar os não-muçulmanos como amigos. Alcorão 05:51
  16. Tu deves chamar os não-muçulmanos de porcos e macacos. Alcorão 5:60, 7: 166, 16: 106
  17. Tu deves tratar os não-muçulmanos como as criaturas mais vis, que não merecem misericórdia. Alcorão 98: 6
  18. Tu deves tratar os não-muçulmanos como inimigos jurados. Alcorão 4: 101
  19. Tu deves matar os não-muçulmanos por não se converterem ao Islão. Alcorão 09:29
  20. Tu deves extorquir não-muçulmanos para manter o Islão forte. Alcorão 09:29.

Duas frases abaixo que valem dependendo da sua convicção:
  • Uma pessoa religiosa - Caros muçulmanos: Eu oro para que o Senhor Jesus Cristo abra os olhos e os corações, e você possa conhecer a luz do Evangelho em Seu Nome Poderoso. Amén.
ou:
  • Uma pessoa atéia/agnóstica - Caros muçulmanos: Estes 20 mandamentos são um crime contra a humanidade e os Direitos Humanos. Largue-os fora, e se torne um ser humano. 

Agora, para mim, basta uma frase muito simples:

EU NÃO QUERO SHARIA NO BRASIL         

E, para completar, os políticos e simpatizantes que estão dando cobertura para islamismo se instalar e criar raizes no Brasil são traidores da pior espécie.

(hat tip: Karim)





sábado, 16 de agosto de 2014

ATENÇÃO: TÁTICA DE INTIMIDAÇÃO DOS JIHADISTAS NO BRASIL



Não aceitem serem intimidados pelos jihadistas no Brasil. Se voce receber alguma mensagem como o texto abaixo, ignore. Se você for ver de onde a mensagem se origina você irá imediamente ver a bandeira negra da Jihad. Ou seja, eles primeiro tentam nos calar. Mas se nós nos calarmos o nosso futuro será o mesmo dos kufar (não-muçulmanos) vivendo sob o jugo da lei islâmica (Sharia): conversão, morte, ou subjugação pagando a taxa da extorção Jizia.

Além disso, do ponto-de-vista legal, eles não tem nem como processar ninguém. De modo que isso é apenas intimidação.

Lembre-se do que Maomé disse ao final da sua vida: EU FUI VITORIOSO COM O TERROR.

O triste é ver isto acontecendo no Brasil  .

Mensagem padrão:
"ola vi que vc esta na página (***nome da página***), a pagina esta sob investigação do ministério publico federal, com a denuncia de crime de intolerância religiosa - Lei 11635/07 | Lei nº 11.635, de 27 de dezembro de 2007  considera crime a prática de discriminação ou preconceito contra religiões. Ninguém pode ser discriminado em razão de credo religioso. O crime de discriminação religiosa é inafiançável (o acusado não pode pagar fiança para responder em liberdade) e imprescritível (o acusado pode ser punido a qualquer tempo).  A pena prevista é a prisão por um a três anos e multa. Tome cuidado no que vc compartilha daquela pagina muitos dos seguidores teve seu facebook cancelado por parte da justiça "
Isso é blá blá blá furado de mujahadin ("guerreiro sagrado") tentando imitar o seu "exemplo de conduta" Maomé!

Nas fotos abaixo, a bandeira negra da Jihad como utilizada pelo Al-Shabaab e pelo Estado Islâmico (Califado), e um grupo de zeoloso seguidores de Maomé, no Brasil, empunhando a mesma bandeira. Será coincidência? (Aparentmente, o da esquerda morreu na Síria; dois outros na foto são personalidades de sucesso dentro da comunidade islâmica no Brasil).



A bandeira negra da Jihad como utilizada pelo Al-Shabaab e pelo ISIS (atual Estado Islâmico - Califado) desde 2006. Acima, a Shahada, a profissão de fé que leva os crentes a tentarem imitar Maomé e a se tornarem jihadistas, buscando o martírio islâmico (ou seja morrer MATANDO). Em baixo, o sêlo de Maomé.



BRASIL: Grupo de zelosos seguidores de Maomé, 
fazendo propaganda da Bandeira Negra da Jihad usada pelo Estado Islâmico. 



quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Propaganda islâmica no Metrô de São Paulo


"Alguma coisa acontece no meu coração
que só quando cruzo a Ipiranga e a Avenida São João"
Assim diz a letra da música de Caetano Veloso, "Sampa." Mas o que acontece no meu coração hoje é preocupação, ao ver a ideologia mais intolerante do mundo, ideologia travestida de religião, o islamismo, fazer dentes e começar a se instalar no Brasil.

Repito, e torno a repetir:
O islão é uma ideologia política que exige dos seus "partidários" a sua propagação com vigor religioso (e total submissão), através da implementação da lei islâmica (Sharia).
E como é que o islão está penetrando no Brasil? Do mesmo jeito que acontece no resto do mundo ocidental, através do aumento demográfico (imigração, casamentos de homens muçulmanos com mulheres brasileiras, sendo a internet uma poderosa ferramenta para este fim), trabalho com a parcela da população negra, distorcendo a história e visando a sua conversão (veja um exemplo neste vídeo), e se servindo da falta de visão (e interesses econômicos) por parte da elite governante do país.

Eu discutí este assunto em um artigo intitulado Islamização da Europa. O mesmo pode acontecer no Brasil?  (por favor, leia este artigo se você ainda não o leu).

A estratégia é sempre a mesma, e segue a chamada Lei dos Números do Islão:
  1. Quando em minoria eles dizem: "Nós somos da Religião da Paz"
  2. Quando em minoria significante, eles exigem tratamento especial
  3. Quando em maioria, eles exigem e impõem a Sharia (lei islâmica)
E quem financia este esforço? Principalmente, os países do Golfo (Arábia Saudita, Qatar, Emirados), e a Irmandade Muçulmana, que propagam a forma mais virulenta do islamismo, o salafismo (que pode ser mencionado por diversos sinônimos como wahabismo, deobandi, etc.). 

O salafismo é aplicado por organizações jihadistas, como a Irmandade Muçulmana (com os seus diversos braços, como o Hamas), os diversos grupos derivados/associados com a Al Qaeda, e, agora em destaque, o Estado Islâmico (Califado). E quais os frutos do salafismo? Para as mulheres, misoginia; para os kufar (não-muçulmanos) as 3 opções: conversão, morte, ou humiliação e pagamento da jizia. E se você tem alguma dúvida basta ver o noticiário atual, porque as atrocidades têm sido tamanhas que não dá mais para esconder. 

O interesse final destes grupos, e daqueles que os financiam, é o estabelecimento de um Califado Global, regido pela Sharia. 
O Brasil aceita imigrantes de todas as partes do mundo. Ao chegarem no Brasil, eles trabalham duro para melhorar as suas vidas e a contribuem positivamente com o país. 
Mas os muçulmanos ortodoxos, aqueles que desejam a Sharia, vêm para o Brasil com o intuito de mudar o nosso país, de mudar a nossa cultura, de destruir a nossa civilização, para substituí-la pela Sharia. 
NÃO QUEREMOS SHARIA NO BRASIL !!! 
Esta semana, no metrô de São Paulo, me deparei com uma exposição intitulada "Por Trás do Véu."



Qual o problema desta exposição? Propaganda. A exposição apresenta o "véu islâmico" como algo "cultural", algo que pertence aos costumes locais, quando na verdade, o uso do véu é uma imposiçao política, porque o seu uso faz parte da lei islâmica. É por isso que nos paraísos islâmicos as mulheres apanham da polícia, ou da sua família, por não usá-lo. E existe um outro aspecto político que é o da segregação. Ao usarem o véu, qualquer um que seja, as muçulmanas se distinguem das mulheres não-muçulmanas, o que torna mais fácil o seu agrupamento social distinto, ou seja, a criação de guetos islâmicos (como acontece na Europa hoje, e já começa a acontecer no Brasil).

E o véu não é cultural como alguns dizem. Vejam bem. As mulheres do Norte da África, no Egito, na Síria, na Pérsia, no Afeganistão, etc., nunca usaram o véu islâmico. O véu islâmico nunca fez parte da cultura destas terras. Apenas após as conquistas militares das hordes islâmicas, e a consequente ocupação e imposição da Sharia, é que as mulheres passaram a usá-lo, por obrigação legal. Elas não tinham escolha, pois escolha é algo inerentemente anti-islâmico (lembre-se, islão significa "submissão" à lei de Alá, a Sharia).

Reflita comigo. O véu islâmico é obrigatório. Se a mulher usá-lo por sua livre vontade: ela está dentro da lei e não vai ter problemas. Se a mulher não quiser usá-lo: ela não tem escolha, ela tem que usá-lo, ou vai ficar fora da lei. Esse é um exemplo de "liberdade islâmica."

A exposição é da revista super-interessante. Sinceramente, eles poderiam ter feito uma pesquisa melhor. Ou será que eles perguntaram a algum xeique, dando-lhe oportunidade de praticar taquia?

Vejamos.

Imagem da burca, dizendo que ela não tem origem islâmica. Deixe-me pensar aqui. Foram os metodistas que inventaram a burca? E as datas apresentadas (século 18-19) representam o que? Afinal, existem pinturas de mulheres usando burcas que antecedem esta data, bem como cobrir-se com "tendas" é um mandamento de Alá, segundo o Alcorão (33:59). E, só mais uma pergunta: as mulheres teriam liberdade de NÃO USAREM a burca?


Imagem do niqab, a mais islâmica de todas as vestimentas. E o texto diz uma coisa certa. Todo o corpo da mulher é a sua genitália, deste modo, todo ele deve ser coberto. (Me desculpem, mas apenas uma pessoa com tremendos problemas sexuais como Maomé, poderia imaginar o cotovelo de uma mulher como genitália feminina).


O chador é a versão da "tenda" no mundo xiíta. O triste no texto é que diz que o chador foi proibido no Irã durante o "processo de ocidentalização forçada" mas que tornou-se obrigatório com a revolução iraniana. Ou seja, as pobres das mulheres não têm o direito de escolherem como irão se vestir.

Eu sou contra determinar como a mulher vai se vestir. Com exceção da burca e do niqab, que escondem o rosto e por conseguinte são perigosos no ponto-de-vista da segurança pública, eu acho que a mulher deve ter o mesmo direito que o homem em escolher como se vestir.

Outro motivo pelo qual eu sou favorável à proibição do niqab e e da burca é o "motivo religioso" por detrás desta vestimenta: o corpo da mulher, todo ele, é considerado como genitália!!! Me desculpe, mas aceitar este argumento é reduzir a mulher, em sua totalidade, a uma vagina, bem como aceitar argumento de pedófilos e tarados sexuais, pessoas pervertidas, essas sim, dos pés à cabeça. As pessoas que defendem o niqab e a burca é que deveriam ser trancafiadas em tendas, vendo o "sol nascer quadrado."


Agora, vem as variações do hijab (al-Amira e Shaila). O curioso é que o texto diz que eles vieram como consequência dos "protestos feministas nos países árabes." Que protestos foram esses? Quando? O que eu sei é que com o Colonialismo, várias práticas islâmicas deixaram de existir, como a da polícia religiosa islâmica e a da cobrança da taxa da humilhação que os não-muçulmanos tinham que pagar (jizia), e houve uma influência muito grande da cultura ocidental. Isso fez com que uma grande parte das mulheres muçulmanas, notadamente as mais educadas, deixassem de usar a burca e o niqab e começassem a mostrar os seus cabelos. Adicione-se a isso o esforço por parte do governo turco de Ataturk (partir de 1926) e do governo persa de Reza Pahlavi (a partir de 1936) em abolirem o véu islâmico. Veja abaixo foto de mulheres persas (esquerda), e egípcias (direita) durante esta época.

 

O uso do hijab faz parte de uma revolução, conhecida como o Despertar Islâmico, notadamente após a revolução iraniana, que influenciou o mundo islâmico, e que continua até hoje. Este Despertar Islâmico é manifesto pela crescente radicalização do mundo islâmico que presenciamos hoje em dia. As mulheres começaram a usar o hijab como uma declaração política de que elas apoiam a lei islâmica, que elas defendem a Sharia. E isso é facil de constatar. Converse com uma mulher de hijab e pergunte se ela está de acordo com a Sharia. Ela irá dizer que sim. Pergunte então sobre os aspectos mais nefastos da Sharia para as mulheres, tais como o testemunho da mulher valer metade do de um homem, a parte da herança da mulher ser metade da de um homem, no caso de estupro a mulher precisar da testemunha de quatro homens, etc (leia mais em Direito das Mulheres sob o Islão). Você vai se assustar quando ela te disser que isto tudo é a lei de Alá e quem é ela para ir contra.


Abaixo, um trecho que uma conversa minha com uma muçulmana no Facebook, no qual ela afirma que a Sharia é a lei de Alá e deve ser cumprida e nunca questionada.


A agora, o toque final da exposição, onde a taquia se faz mais presente. A foto de uma mulher normal, sem usar véu algum. Veja a foto e os meus comentários após a foto. 


O Líbano é um país dividido quase que meio-a-meio entre cristãos e muçulmanos. As cristãs não usam o véu. As muçulmanas irão usar qualquer um dos véus vistos acima. Então, o texto é tendencioso (ou apenas errado) ao indicar que as muçulmanas não cobrem a cabeça. O problema do Líbano é que o cristinanismo está sendo esmagado. O Líbano era majoritáriamento cristão 100 anos atrás. Ele vem passando por um tremendo processo de islamização, o que tem levado os cristãos a deixarem o Líbano (a maioria dos libaneses que a gente conhece Brasil são cristãos). Apenas recentemente, é que a migração de libaneses muçulmanos para o Brasil tem se acentuado (e promovida pelo governo). 

Nesta exposição, a falta de uma discussão mais aprofundada sobre o véu, e o que ele representa em termos políticos, é lamentável. E é isso que me deixa perplexo e preocupado com esta exposição, em pleno metrô paulista. As pessoas ficam expostas a propaganda, ou a falsas-verdades. E não existem indagações que as façam pensar.





O mundo atual está se tornando muito diferente do mundo dos nosssos pais, e do mundo no qual crescemos. O espalhamento do islamismo ortodoxo ao redor do mundo têm trazido para países ocidentais, chamados pelo islão de Dar al-Harb (a Casa da Guerra, aqueles contra quem se deve fazer guerra santa jihad até que sejam submetidos ou mortos) problemas que apenas ouvíamos falar. E a coisa apenas tende a piorar. 

Lembre-se de uma coisa. Com exceção de Portugal e Espanha, que derrotaram os invasores islâmicos militarmente, nenhuma outra civilização conseguiu resistir ao islamismo. Não é a toa que o islão é o aniquilador de civilizações. A escolha é nossa, se nós preferimos a nossa civilização (ainda que ela tenha os seus problemas) baseada na liberdade e livre escolha, ou se iremos aceitar uma civilização (totalmente oposta) baseada na submissão total a leis medievais e imutáveis (Sharia). 

Pense nisso. Faça a sua escolha. Lute por ela. Neste caso, omissão rima com submissão. E não existe outra escolha. 


quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Porque a adoção é ilegal no islamismo (e porque incesto é legal): o escandaloso casamento de Maomé com sua nora, Zainab (e o caso de Maomé com a sua tia Kaula)



Escolhas têm consequências. Para satisfazer o seu apetite sexual, Maomé tomou uma série de decisões que resultaram no seu incesto com a sua nora, e na ilegalidade da adoção na Sharia. 

Antes da narrativa, vamos definir “incesto.” Dicionário Aurélio,  Nova Ortografia, 7ª edição:
Incesto: União sexual ilícita entre parentes cosanguíneos, afins ou adotivos.  

O incesto de Maomé com a sua nora, Zainab

Um dia, Maomé entrou na casa do seu filho adotivo Zaid. Zaid não estava em casa, e um vento leve levantou o cortina dos aposentos da sua nora, Zainab, que estava despida. Maomé ficou excitado ao ver a beleza de Zainab, e ela percebeu isso, tanto é que ela comentou este fato com o seu marido. Ao saber disso, Zaid correu para a casa do seu pai adotivo, Maomé, e ofereceu Zainab para ele. Maomé se preocupou sobre como os seus seguidores aceitariam isto. Mas aí, veio uma “revelação” de Alá que satisfez por completo os desejos sexuais de Maomé. O Alcorão 33:37 diz:
Mas após Zaid satisfazer o seu desejo [com Zainab], nós a damos para você [Maomé] como esposa, de modo que não exista dificuldade para os crentes com respeito às esposas dos seus filhos adotivos.

Como que necessitando de mais justificativas, Alá decidiu revelar outro verso no qual ele simplesmente cancelou a adoção de Zaid por Maomé. O Alcorão 33:40 diz:
Maomé não é o pai de homem algum, mas ele é o mensageiro de Alá e o último dos seus profetas.

Mas Alá não ficou apenas nisso. Alá decidou cancelar todas as adoções. O Alcorão 33:4 diz:
... e nem Alá fez os seus filhos adotivos como seus filhos. Este é apenas um modo de falar das suas bocas ...

E ainda veio o Alcorão 33:5, que diz:
Chame-os apenas pelo nome dos seus pais: isto é justo aos olhos de Alá.     

PS. Alguém pode dizer que Maomé teve relação sexual com Zainab sendo ela sua esposa. Mas o fato é que ela nunca divorciou Zaid. E ao ser esposa de seu filho, ela se tornou parente direta. Por isso a necessidade de anular a adoção.

PS. Casamento entre parentes diretos é algo muitíssimo comum entre os muçulmanos, prática esta sendo importada para o Brasil.

Consequência: não existe adoção na Sharia

Como visto, para justificar este seu casamento escandaloso com sua nora Zainab (a esposa do seu filho adotivo Zaid), Maomé proibiu a adoção, esta nobre instituição social, e privou milhões de crianças muçulmanas órfãs ou ilegítimas de serem adotadas por outras famílias.

É importante salientar que é possível que crianças órfãs ou abandonadas sejam cuidadas por pessoas que não sejam seus parentes, mas isso não constitui adoção. A lei islâmica Sharia proíbe que direitos de herança sejam repassados para crianças que não tenham relação direta com o pai. O que se diz é que o islão garante a linhagem ao proibir a adoção legal. (islamweb)

Sem a opção de adoção, milhares de meninas muçulmanas, a cada ano, ou se matam por medo de trazer vergonha para suas famílias, ou são mortas, por seus familiares, em crimes de honra, quando elas engravidam fora do vínculo matrimonial. Por exemplo, em Cartum, Sudão, a cada ano, centenas de meninas muçulmanas são engravidadas por meio do chamado al Zawaj al-'urfi e, após darem à luz, jogam o recém-nascido nos contentores de lixo para ser comido por cães vadios. Al Zawaj al-'urfi é um tipo de um casamento islâmico, que é socialmente reconhecido e aceito por famílias muçulmanas, e bastante difundido no mundo islâmico sunita em geral. É semelhante ao casamento xiíta Mutta (conhecido como o “casamento do prazer”), onde o homem e a mulher se casam sem o conhecimento de suas famílias, sem dote, sem testemunhas ou qualquer documento oficial.

Às vezes as pessoas resgatam o infeliz bebê antes de morrer. Muitas vezes os bebês indesejados perderam alguma parte de seu corpo, como uma mão ou uma perna, que tinha sido comido pelos cães vadios. Por exemplo, o aumento alarmante do número destes bebês “jogados fora”, forçou o governo islâmico do Sudão a abrir o Dar Al-Maigoma Center para cuidar desses bebês indesejados. No entanto, ninguém está autorizado a adotar uma dessas crianças e dar-lhes o seu nome, porque a adoção é ilegal no Islão.

Um outro incesto de Maomé, desta vez com a sua tia, Kaula

Segundo Bukhari (livro 7, volume 62, hadice 48), Kaula bint Hakim era uma das mulheres que se ofereceram para Maomé. Aisha, a esposa-criança de Maomé comentou sobre a falta de vergonha destas mulheres se oferecerem para Maomé, mas quando o verso 33:51 do Alcorão foi “revelado” (dizendo que Maomé poderia ter relações sexuais com as mulheres que ele desejasse), Aisha retrucou dizendo que Alá está sempre pronto para satisfazer os desejos de Maomé.

Mas quem era Kaula? Kaula era uma das tias maternas de Maomé (Hadice de Musnad Ahmad, 26768).
... Kaula bint Hakim al-Salmiya, que era uma das tias maternas de Maomé, ... perguntou ao profeta sobre a mulher tendo sonhos molhados, ele disse que ela deveria se lavar ...




Palavras Finais

Essas narrativas me fazem lembrar das palavras do homem mais sábio da História, Jesus (Mateus 5:28):
Mas eu vos digo, qualquer um que apenas olhar para uma mulher com luxúria, já cometeu adultério com ela no seu coração.





segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Estado islâmico Queima 1200 Manuscritos Cristãos Raros



Um dos problemas do islamismo é que ele trata com desdém, ou até mesmo considera como demoníacos, tudo aquilo que não for considerado islâmico. Arte, em geral, sofre com isso. História não-islâmica também. Vejam aí mais um exemplo deste fato.

Os membros do Estado Islâmico, o novo "califado", incendiaram 1.200 raríssimos manuscritos cristãos.
Os manuscritos foram confiscados das igrejas de Mosul, que estão sob o controle do Estado Islâmico. Muitas dessas igrejas têm estado em Mosul desde os tempos dos apóstolos de Cristo.
Segundo o diretor de antiguidades locais Kasim Taher, "As gangues criminosas de DAASH (o Estado Islâmico, anteriormente "ISIS") saquearam e destruíram as igrejas e todos os seus bens, entre eles 1.200 manuscritos antigos e raros da igreja."
O Estado Islâmico também assumiu e destruiu o Museu de Antiguidades em Mosul, o segundo mais importante museu de história antiga no Iraque, que já abrigou alguns dos artefatos mais importantes da história humana inicial.

Texto traduzido de Coptic Solidarity.


sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Exemplos de como a devoção extrema leva muçulmanos a pensarem e agirem



Algo que sempre me intrigou é como a lógica islâmica é tão diferente da lógica do resto do mundo. É um erro grave projetarmos a nossa linha de pensamento e os nossos valores sobre os muçulmanos, notadamente aqueles mais influenciados pela ortodoxia islâmica. Abaixo, seguem exemplos, que têm um tema em comum: a reação de mulheres que foram tratadas pelos hospitais israelenses, e que não foram tocadas pela caridade. O ódio que elas têm entranhado nas suas mentes e nos seus corações  parece ser impossível de ser removido. A luta contra o islamismo fundamental é uma luta entre a civilização e o barbarismo. 


Mulher tenta explodir hospital que a tratou

Este é o testemunho do Dr. Arieh Eldad, cirurgião plástico do Hospital Hadassah, em Jerusalém, Israel (publicado no FrontPage). Dr. Eldad foi um dos lideres na criaçao do “Banco de Peles” no Estado de Israel, o maior do mundo. Este “Banco de Peles” armazena peles para necessidades que surgem naturalmente, bem como para tempos de guerra e conflitos. 

Certa vez, ele atendeu uma mulher árabe de Gaza, que estava hospitalizada no Hospital Soroka, em Beersheva. A sua família havia queimado-a, atrocidade comum entre famílias árabes quando se suspeita que a mulher esteja tendo um caso.

Ela foi tratada com sucesso e enviada de volta para Gaza. Ela foi convidada para consultas de acompanhamento na clínica em Beersheva.

Um dia, ela foi presa na fronteira por estar usando um cinto cheio de bombas. Ela pretendia explodir-se na clínica. A família da mulher disse que ela seria perdoada se ele fizesse isso.


Mulher diz que nada muda, mesmo após sua filha ter tido vida salva

Este é o testemunho oriundo de uma entrevista. Vale a pena assistí-la. O contexto é o seguinte.


Em uma recente operação israelense humanitária, uma criança de Gaza em estado crítico foi levada às pressas para um hospital em Israel para passar por uma cirurgia que lhe salvaria a vida, já que o mesmo tratamento não é oferecido em Gaza.

Judeus israelenses se mobilizaram para custear a remoção e a cirurgia do pequeno Muhammad, filho de uma apoiadora do Hamas que o acompanha ao hospital 'inimigo'. Lá, após a operação, a mãe da criança e o jornalista Shlomi Eldar conversam sobre o pequeno Muhammad, sobre a importância da vida e sobre os valores da mãe da criança, dos muçulmanos e dos judeus, mas para o espanto de todos, ela disse que os palestinos amam a morte e que a vida deles não vale nada!

Vídeo do YouTube. 




Mãe de homem-bomba celebra a morte do seu filho

Ela diz que pela primeira vez ela sente alegria no seu coração.






quarta-feira, 6 de agosto de 2014

O começo da "vida profética" de Maomé (a coisa toda é "diabólica")



Existe uma diferença entre diabólico e demoníaco. Eu costumo dizer que o islão é diabólico, no sentido que ele é cheio de artimanhas que acabam envolvendo os menos preparados ou aqueles mais indefesos a se tornarem propagadores declarados ou defensores e apologistas da ideologia. Eu conheço gente que diz que o islão é mesmo demoníaco. Mas, eu me atenho ao aspecto da ideologia, porque apenas isso já caracteriza o islamismo como, eu diria, a pior invenção da história da humanidade.

Um vídeo na internet trata dos primórdios do islão, quando, segundo a narrativa islâmica, Maomé é visitado por um espírito que o deixa aterrorizado a ponto dele tentar o suicídio várias vezes. A narrativa dos eventos é fiel às fontes islâmicas. Os comentários do autor do vídeo fazem algumas indagações interessantes.

Demoníaco ou não, o fato é que ao se julgar Maomé pelas suas ações é de se desconfiar que ele era uma pessoa perturbada, mentalmente, ou epilético, ou outra coisa qualquer.

Então, divirtam-se com este vídeo, intitulado  "Maomé e Satã."

E lembre-se, o vídeo está baseado nas narrativas islâmicas.






sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Atualizações em julho de 2014


Um resumo do que entrou no blog em julho de 2014


ISIL/ISIS matam todos os que eles vêm como inimigos acusando-os de apostasia
Acusar seus inimigos de ex-muçulmanos (apóstatas) é um recurso muito usado para poder se livrar deles, afinal, os apóstatas devem ser mortos. As punições são cruéis, os corpos mortos deixados em praça pública, servindo de alerta para os outros: sigam quem manda ou morra. Maomé fez isso e deu certo. Ele é o exemplo. Fazer como ele fez é sunna.


Não é claro se as vítimas são mortas antes da crucificação. (Sharia Unveiled). 



Afeganistão: "Família considera matar filha de 10 anos de idade, depois que um mulá (clérigo islâmico) a estuprou na mesquita"
A Sharia, a lei do Islão, tal como é praticada hoje, e como tem sido praticada por 1400 anos, é uma ofensa à humanidade. E o que é pior. Com a saída das forças ocidentais, o Talebão tem tudo para reconquistar o poder. Uma assitente social afegã disse, melancólicamente, que "estamos perdendo lentamente todos os direitos que conseguimos nos últimos 13 anos." (nationalpost

Líder do Estado Islâmico ordena que se pratique mutilação genital em mulheres

E ainda tem gente que tenta negar que a “circuncizão feminina”, verdadeira mutilação genital, não é uma prática islâmica (R7). 



Três homosexuais são queimados vivos por Alá

Homosexuais devem ser queimados vivos

Os funcionários da escola primária muçulmana são pegos pela câmera descrevendo "como os homossexuais devem ser apedrejados até a morte." Eles dizem também que "bater palmas é satânico, e que música na escola é anti-islâmico." Filmagem foi obtida para um documentário do Canal 4 no Olive School - uma escola primária muçulmana para 600 alunos em Blackburn, administrada pelo Tauheedul Islam Fé, Educação e Comunidade Trust. (Daily Mail)  


Reportagem do Fantástico fala do tratamento da mulher sob o islão. Muçulmanos brasileiros respondem com "taquia"

Al Qaeda no Brasil


Enriquecimento cultural

Grupos Internacionais endossam apoio ao Estado Islâmico (Califado) declarado pelo ISIS
Quem acha que esta história de « califado » é brincadeira, pense novamente. Vários grupos islâmicos ao redor do mundo têm manifestado o seu apoio o Califado.
(1) Mais de mil pessoas na Indonésia estão "prontas para lutar" para ISIS, na Síria e no Iraque (Asia News).
(2) o grupo militante paquistanês Tehreek-i Khilafat declarou sua lealdade ao Estado Islâmico do Iraque e al-Sham do (ISIS) (Times of India)
Atualização:
(3) grupo rebelde da Síria assina pacto de não agressão com o Estado Islâmico (Al-Arabiya).

Banir o Niqab e a Burca? Bom, mas não suficiente: é preciso encarar de frente a ideologia islâmica
Banir a niqab e a burca é como fazer um curativo em uma ferida mortal. É algo mais psicológico do que uma solução definitiva. Sim, muçulmanos que imigram para a Europa estarão menos inclinados em irem para lá. Mas é um dedo na represa. A imigração muçulmana é um problema. Mas a dawa (propaganda) vai continuar. É preciso encarar a ideologia de frente e combate-la.
  • Corte de Direitos Humanos Européia considera legal a lei francesa que proibe o niqab e a burca (BBC).
  • Noruega proíbe a construcão de mesquitas financiadas pela Arábia Saudita (PamelaGeller).
  • Espanha: Catalunha pretende avançar com planos de proibição da burca (The Local).

Gaza: Mesquita usada para armazenar armas é destruída pelo exército de Israel
Mesquitas têm sido usadas ​​para armazenar armas em outros países no passado, e especialmente o Hamas quer fazer isso, uma vez que isso o torna capaz de usar o ataque israelense contra a mesquita para difamar Israel atacar indiscriminadamente alvos civis (NY Times).


Estado Islâmico avisa os cristãos que eles têm três opções: converter para o Islão, pagar a Jizya, ou serem mortos
"Oferecemos-lhes três opções: o Islão, o contrato dhimma - envolvendo pagamento da jizya; e, se eles recusarem isso eles não vão ter nada, apenas a espada", Essas são as opções para o cristãos viverem sob o Califado (Reuters). Isso é consistente com o Alcorão 9:29 e com Bukhari 4294:
Maomé disse: “Lute contra aqueles que não acreditam em Alá. Faça uma guerra santa contra eles … Quando você encontrar os seus inimigos politeístas, convide-os para escolherem as opções. Se eles reponderem para qualquer uma delas você aceita e se retire sem lhes fazer mal. Convide-os para aceitarem o islão; se eles aceitam, desista de lutar contra eles ... se eles recusarem a aceitar o islão, exija deles a jizya (imposto compulsório). Se eles concordarem em pagar, aceite. Se eles se recusarem a pagar a jizya, busque a ajuda de Alá e os combata. (Sahih Muslim 4294). blog

Documento distribuido aos cristãos de Mosul pelo "Estado Islâmico" (califado) oferecendo as 3 opções conforme Alcorão 9:29: conversão ao islamismo, pagamento do "imposto da proteção" Jizya, ou morte.
Tem havido relatos independentes de que muitos cristãos que saíram de Mosul ontem e hoje, ao passagem pelos pontos de verificação do ISIS, eles tiveram tomados à força todos os seus pertences, dinheiro, jóias, carros, laptops, até mesmo telefones celulares .. Eles conseguiram fujir apenas com suas próprias roupas .. Agora eles não têm nada para alugar uma casa ou para comprar comida, quero dizer que eles chegaram com nada .. http://www.bbc.com/news/world-middle-east-28381455

Estado Islâmico marca lares cristãos em Mosul
Eles estão marcando cas asas dos cristãos com uma ن, Nasara, que é a palavra do Alcorão para os cristãos: Nazarenos. Provavelmente, eles estão fazendo isso para que eles possam saber onde moram os cristãos de modo a exigir a jizya, o imposto que o Alcorão exige que os Povos do Livro, subjugadas, paguem ao Estado islâmico: "Lute contra aqueles que não crêem em Alá, nem no Final dos Tempos, nem proibam o que foi proibido por Alá e pelo Seu Mensageiro, nem reconhecem a religião da verdade, (mesmo que sejam) do Povo do Livro, até que paguem a Jizya com submissão voluntária, e se sintem subjugados" (Alcorão 9:29). Os nazistas printavam os muros dos judeus. Os islamismo obriga os muçulmanos a pintarem os muros dos cristãos, deste o século VII. (Fotos do Twiter



Enquanto que a atenção da imprensa está voltada para o conflito entre Israel e Hamas, um genocídio de verdade está acontecendo. Isso sim é LIMPEZA ÉTNICA!
Os cristãos nativos do Oriente Médio estão sendo exterminados. E pensar que, na década de 90, a OTAN bombardeou a Sérbia para proteger os muçulmanos.
Os cristãos de Mosul Ordenados a se converterem enquanto Militantes Queimam Catedral
Os cristãos de Mosul que restam estão fugindo da cidade ontem, após os ocupantes do ISIS terem dado um ultimato para se converterem ao Islã ou serem executados sumariamente. Em um comunicado lido nas mesquitas da cidade, os islamitas disseram aos cristãos que eles tinham até o meio-dia para se converter ou pagar uma "jizya" - um imposto sobre os não-muçulmanos. Aqueles que se recusarem a cumprir seriam mortos.

A foto mostra a catedral dos cristãos caldeus sendo queimada. Esta comunidade cristã remonta a dois mil anos.


Estado islâmico massacra cristãos e paga para quem entregar pastores evangélicos
Segundo a Lei Islâmica, é proibido expor o Evangelho aos muçulmanos. A perseguição é implacável (Gnotícias). 

“A minha Diocese não existe mais. O Estado Islâmico levou-a embora”, diz Arcebispo de Mossul


Vídeo mostra cristãos narrando o horror que eles suportaram sob ISIS antes de fugir de Mossul.
Uma mulher cristã narrou que os muçulmanos do ISIS disseram para ela e sua irmã: “Traga o seu dinheiro e o dê para nós. Se não, cada um de vocês levará um tiro na cabeça.” O vídeo termina com a mesma mulher chorando e se lamentando, e mencionando Mateus 10:16, que report Jesus dizendo: “Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas.” 

Testemunhas do genocídio dos cristãos em Mosul pelo Califado Islâmico registrada em vídeo

Vídeo da BBC Brasil

Mar (São) Behnam, um mosteiro do século 4 administrado pela igreja siríaca católica perto da cidade predominantemente cristã de Qaraqosh (AFP). Enquanto isso, existem cristãos no Ocidente que alegam que falar de tais coisas prejudicaria o "diálogo" inter-religioso com os muçulmanos devotos.

Nigéria: líder cristão diz que Ocidente ignora motivos islâmicos do Boko Haram
Nicholas Okoh, o primaz da Igreja da Nigéria,  disse “Por muito tempo os Estados Unidos não dizem nada sobre o Boko Haram. Eles continuam mencionando problemas econômicos, [dizendo] que o Boko Haram está lutando por causa de problemas econômicos. Isso não é verdade ... Os Estados Unidos ignoraram deliberadamente as questões fundamentais da ideologia religiosa." Na verdade, e mais grave,  a grande mídia nos EUA foi bombardeada, por algum tempo, com artigos que diziam que o Boko Haram não tinha nada a ver com o Islão (Baptist Press).

Bangladesh: Freiras e instituições católicas atacadas




Reflexão sobre o mais recente conflito entre Hamas e Israel

Representante palestino na ONU dá uma breve aula de Direito Internacional
explicando que atirar foguetes em civis, como o Hamas faz, é crime de guerra, ao passo que avisar antes, como Israel faz, não é. 


Notícias relativas ao conflito em Gaza
A capacidade bélica do Hamas aumenta
·        Aumento do alcance dos foguetes atirados pelo Hamas poem em risco áreas mais populosas de Israel (jewishpress).
·        Israel derruba drone do HAMAS (cbc)
Outras notícias
·        Palestinos da Cisjordânia comemoraram no sábado, quando militantes do Hamas disparam a maior salva de foguetes contra a área de Tel Aviv desde o início da recente escalação do conflito (Algemeiner).
·        Enquanto palestinos festejam o bombardeio de Israel, os hospitais em Israel continuam a tratar dos doentes de Gaza (Jpost).

Egito propõe um cessar-fogo. Israel aceita. Hamas não aceita. Porque?
  • O que o Hamas tem a ganhar continuando as hostilidades? (oglobo)
  • Apresentador egípcio diz que foi o Hamas quem rejeitou o cessar-fogo e ironiza o grupo 



Escudo-Humano
Uma das práticas mais repugnantes que o Hamas utiliza é o de colocar civis em locais onde foguetes são lançados ou onde material bélico é estocado. Estes locais incluem escolas, hospitais e mesquitas. Este fato tem sido registrado por jornalistas de diversos periódicos (honestreporting)

·        Video mostra Hamas disparando fogetes de dentro de áreas residenciais. Tente viver no único país livre e democrático do Oriente Médio..Israel. Hamas não tem alvo. Hamas se esconde e arremessa mísseis de Gaza em meio a escolas e hospitais e acabam usando crianças como escudo. 


·        Hamas usa da tática do “escudo-humano” colocando cidadãos, mulheres e crianças, nos locais de onde os foguetes são lançados ou onde armas são estocadas, locais esses que icluem escolas e mesquitas. Isto força as forças de defesa de Israel a reduzirem os ataques como também aumenta as chances de que mulheres e crianças sejam atingidas, o que cai com uma luva na propaganda anti-israelense. Dois vídeos que mostram líderes do Hamas falando sobre isso.


·        Hilary Clinton confirma, em entrevista, que Hamas usa escudos humanos (CNS). Ela justifica a prática dizendo que “Gaza é muito pequena.” Mas, em nenhum momento da entrevista ela menciona a Constituição do Hamas, que diz: Israel existe e continuará a existir até que o islão a destrua, do mesmo jeito que destruiu outros antes.

Mesquitas têm sido usadas ​​para armazenar armas em outros países no passado, e especialmente o Hamas quer fazer isso, uma vez que isso o torna capaz de usar o ataque israelense contra a mesquita para difamar Israel atacar indiscriminadamente alvos civis (NY Times).

Vídeo mostrando militantes jihadistas do Hamas usando uma ambulância das Nações Unidas (UN) como meio de transporte no meio do conflito.
Eles sabem que Israel se baseia em um conjunto ético mais elaborado do que o deles.

Jornalistas egípcios criticam dirigentes to Hamas que se escondem em luxo enquanto populacão sofre

Pergunta: Se a disputa na Palestina é apenas territorial, porque os judeus em outras partes do mundo são alvo de agressões? Para responder a esta pergunta, é necessário colocar a “conexão islão” dentro do contexto ... uma explosão do anti-semitismo global:
* Austrália: judeu agredido por dois muçulmanos por usar uma camisa escrito "IDF" (iniciais de Israeli Defense Force) (forward). Em outra manifestação, um blogueiro “descobriu” que os pró-palestinos são na verdade anti-judeus (JDW).
* Alemanha: muçulmanos cantam  “Matem os judeus nas câmaras de gás!” (International Business Times). Em uma outra manifestação, a polícia emprestou o megaphone para os muçulmanos nazistas (PamelaGeller).
* Holanda: Grupo de muçulmanos entoam canções genocidas contra os judeus em Haia, e empunham bandeiras do ISIS. As autoridades não tomam nenhuma ação (Youtube, Dutch News).
* França: Menina judia atacada com spray de mustarda (Tabletmag).
* França: Milhares de pessoas participaram do protesto, que terminou com um cerco a uma sinagoga. A imprensa disse que centenas de judeus foram presos dentro de uma sinagoga na área e unidades policiais foram enviados para resgatá-los
 * França: após cerco à sinagoga em Paris, polícia francesa baniu manifestações por um tempo. Mas organizações palestinas e de extrema-esquerda desrepeitaram a banição organizando manifestações ao redor da França (Haaretez). Novas manifestações têm ocorrido (palestinos e seus simpatizantes da ‘esquerda revolucionária’ quebrando a lei).

Manifestação em Paris, também chamada de “mini-intifada”

* Canadá: grupo de muçulmanos interrompe manifestação pró-Israel agredindo os manifestantes aos gritos de “matem os judeus.” O prefeito de Calgary, o muçulmano Naheed Nenshi, se recusou a condenar as agressões (Blazing Cat Fur).
* EUA: Judeus de Chicago ameaçados através de folhetos colocados em para-brisa de automóveis (Examiner), e em San Francisco judeus são atacados (CreepingSharia).
* Em outras partes do mundo, janelas da mesquita de Belfast quebradas duas noites seguidas (Newsletter) e manifestações em Londres (Daily Mail), em Malmo homem apanha por empunhar uma bandeira de Israel (Local), no Marrocos um rabino foi espancado (PamelaGeller), e também no Chile e na Bélgica (Arutz Sheva).
* Turquia: manifestações se espalham ao redor da Turquia, e judeus turcos são ameaçados. “Os judeus turcos irão pagar um preço alto” pelas ações de Israel. “Turistas judeus, não se atrevam a visitar a Turquia.” Membros do partido do governo, o AKP,  foram vistos participando das manifestações. O chefe da ONG humanitária IHH disse que “os judeus na Turquia são alvos legítimos.” O jornal Yeni Akit, ligado ao Primeiro Ministro Erdogan, conclamou a comunidade judaica do país a pedir desculpas para as vítimas da operação de Israel em Gaza. Em uma carta aberta ao rabino-chefe da Turquia, o correspondente Faruk Köse escreveu:  “Vocês têm vivido confortavelmente entre nós há 500 anos e ficaram ricos às nossas custas. É este o seu agradecimento, matando muçulmanos? Erdogan, exija que o líder da comunidade judáica peça desculpas!” Na semana passada, a cantora popular Yildiz Tilbe twitou elogios a Hitler. "Que Deus abençoe Hitler", disse. “Se Deus permitir, serão novamente os muçulmanos que irão acabar com os judeus, logo, logo.” (Terra)

E até no Brasil
O que mais me deixa preocupado no Brasil foi a postura do governo, em chamar o embaixador brasileiro (ato que representa uma crise no relacionamento entre países, o que não era o caso), e o depoimento de políticos, como a desta deputada (veja a figura abaixo). Isso aí é anti-Semitismo histórico.



Isso é claramente um convite a atentados. A página também chama os distúrbios de rua nas cidades francesas de “Intifada.”

Atualização: uma das pessoas idenficada nesta página foi atacada dentro de casa por 15 homens (Algemainer). A página foi finalmente retirada do ar.
  




Turquia: Líder religioso diz que 90% dos muçulmanos vítimas em conflitos são mortos por muçulmanos
Quem fez esta declaração foi Mehmet Görmez, líder da Diretoria de Assuntos Religiosos, Diyanet (The News). Eu acrescentaria dizendo que 100% dos cristãos vítimas nestes conflitos são mortos por muçulmanos. De um ponto-de-vista histórico, o islamismo sempre foi fraticida, pois existe a luta interna para se decidir que grupo representa o “islão autêntico” e quem é o mais fiel imitador de Maomé.

Líder Palestino diz acusa Israel de promover Genocídio
Mahmoud Abbas disse em Haia que Israel promove genocídio (Times of Israel). Este é o único genocídio na História no qual a população sendo “exterminada” cresce e a sua mortalidade infantil diminui (Times of Israel).

Comissão de Direitos Humanos da ONU acusa Israel de cometer “crimes de guerra”
No arrazoado, Israel é acusado de todo o tipo de coisa, mas o Hamas não é mencionado, nem mesmo os foguetes lançados por ele contra Israel (que foi o que provocou esta crise).  A moção foi aprovada, incluindo-se o voto do Brasil. A ONU é agora a ONG para a jihad global.

Os túneis de Gaza
Já se sabia da existência de túneis ligando Gaza ao Egito, por onde material bélico tem sido contrabandeado. O que não se sabia era da extensão e complexidade dos túneis. Enquanto que alguns ainda se parecem como buracos cavados no sub-solo, outros são muito bem construídos (veja afoto abaixo), usando-se toneladas de concreto que poderia ser usados para melhorar ainfra-estrutura da população em Gaza. Além disso, muitos destes túneis têm saída para Israel. Durante as incursões do IDF (as forças de defesa israelenses) foram descobertos planos para futuras operações em Israel, incluindo uma “mega operação” sendo planejada para o ano novo judeu (setembro) envolvendo 200 jihadistas. (Gatestone Institute).

É necessário um grande investimento em termos de recursos, material e gente
para se construir túneis como esse

Sermão de sexta-feira no Qatar: “Alá, Mate os judeus, Congele o sangue em suas veias”
Sheik Tareq Al-Hawwas, TV Qatar, 18 de julho de 2014. "Oh, Alá, aumentai a pressão exercida sobre os judeus. Demonstre-lhes os milagres de sua força, pois eles não são páreo para você. Conte-os um por um, e mate-os até o último. Não poupe um único deles. Oh Alá, disperse-os. Oh Senhor, congelai o sangue em suas veias. Oh Alá, rasge-os em pedaços. Oh Alá, semeai a discórdia em seus corações." Este tipo de “oração” direcionada ao kafir (não-muçulmano) sempre foi comum. A diferença é que se antes ela acontecia apenas nos países islâmicos, com a imigração, hoje ela acontece também na Europa, EUA, Canadá ... e no Brasil. 


Os Ahmadis são um secto do islamismo,  fundado na Índia perto do fim do século 19. O seu criador, Mirza Ghulam Ahmad (1835-1908), que alegou ter cumprido as profecias nas tradições de várias religiões do mundo e trazer o triunfo final do islão. Ele alegou ser o Mujaddid (reformador divino), o prometido Messias e Mahdi esperado pelos muçulmanos.

Os sunitas consideram os Ahmadis hereges, e, portanto, legalmente, podem serem mortos sob a lei islâmica. As Ahmadis estão proibidos de ler o Alcorão em público e estão sujeitos a discriminação.

Exemplo: Tribunal no Quirguistão torna os Ahmadis ilegais. Segundo a decisão do tribunal  os muçulmanos que aderem à doutrina Ahmadi no Quirguistão não têm o direito de registrar com o Estado, e não podem organizar-se como uma comunidade religiosa. (Asia News)


Pallywood
Vídeo feito por péssimos artistas fingindo que um palestino foi atingido por um atirador de elite de Israel. 

  






Estado Islâmico manda lojas cobrirem manequins
Porque isso? Seria porque ao ver o manequim descoberto, o muçulmanos pode estupra-la o que forçaria a pobre manequim a ser condenada à morte? Na verdade, é que arte que mostre a forma humana são proibidos (NBC). 

Irã: Não-muçulmano foi condenado a ter sua boca queimada por comer durante o Ramadã
A sentença, aplicada a um cristão, foi feita em praça  pública, na cidade de Kermanshah. Outros cinco muçulmanos foram açoitados, na mesma ocasião, por não jejuarem (Daily Mail). Segundo a lei islâmica, não muçulmanos devem observar os festivais religiosos islâmicos bem como as vestimentas. Em 2008, Hossein Soodman foi enforcado por ter-se convertido ao cristianismo.

Estado Islâmico explode santuário muçulmano considerado como o túmulo do profeta Jonas
Os jihadistas consideram o templo como sendo uma tentação para idolatria. Esta ação vem de Maomé, que aparentemente disse: “que Alá amaldiçoe os judeus e cristãos pois eles construíram lugares de culto sobre o túmulo de seus profetas.” Isso é considerado coo uma advertência feita também aos muçulmanos (Sahih Bukhari 1:8:427) (AP).